O filme amante 2016

Sinopse do filme A Amante (2016) Apático e acomodado, ele trabalha em uma concessionária de carros e está prestes a se casar com uma moça escolhida pela família. Mas, ao ser escalado para uma viagem de trabalho, ele se apaixona pela funcionária de um resort, uma jovem de espírito livre, e isso irá estremecer o planejado futuro que o espera. Baixar Filme O Amante Duplo Torrent Legendado BluRay 720p 1080p Download. Chloé, uma jovem frágil, se apaixona por seu psicoterapeuta. Alguns meses depois, eles vão morar juntos, mas ela descobre que seu amante lhe escondeu um outro lado de sua identidade. Assistir Filme Um Amante Francês Online Dublado Completo em HD. Como viver feliz e rico sem trabalhar? Ser Gigolo. Mas depois de 25 anos morando com Denise, Alex, o 'gigolô', é demitido sem aviso prévio e se vê na rua. Acabei de ver esse filme e vim aqui dar a minha opinião, gostei muito da atuação da mira sorvino, desenpenhou muito bem seu personagem, mas o final do filme ficou a desejar, a trama até que foi boa, mas pecou no fim, o título em português está;amante obsessivo. Hedi (Majd Mastoura) é um homem introvertido, que não espera muito da vida. Ele permite que todos tomem decisões por ele, como sua autoritária mãe, que planeja seu casamento; seu chefe, que o faz trabalhar em datas comemorativas; e seu irmão, que sempre diz como ele deve se comportar. O Amante Bilíngue avaliado por quem mais entende de cinema, o público. Faça parte do Filmow e avalie este filme você também. A Amante avaliado por quem mais entende de cinema, o público. Faça parte do Filmow e avalie este filme você também. ... Listas com o filme. ver todas (41) 40ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo - 2016 280 82 7. 20 filmes subestimados de 2016 20 71 0. ... Cadastrado por Paulo. 4 de Fevereiro de 2016 às 08:39 ... Baixar Filme: O Amante Psicopata Torrent Título original: Her Infidelity Direção: Christie Will Gênero: Suspense 3.6. Lançamento: 2015 Duração: 88 min. Qualidade de Áudio: 10 Qualidade de Vídeo: 10 Produção: Johnson Production Group Sinopse: O medo de estar sendo traída pelo marido começa a deixar Lily Helms perturbada. Esse medo faz com que ela se envolva com o atraente professor ... Um filme de Mohamed Ben Attia com Majd Mastoura, Rym Ben Messaoud, Sabah Bouzouita, Hakim Boumsaoudi. Hedi (Majd Mastoura) é um homem introvertido, que não espera muito da vida. Ele permite que ...

Mourão: Entre Churchill e Pétain.

2020.08.12 02:31 GuilhermeSPD Mourão: Entre Churchill e Pétain.

Mourão: Entre Churchill e Pétain.

Da esquerda para direita: Philippe Pétain, Hamilton Mourão e Winston Churchill.
A história militar, não só brasileira mas também mundial está repleta de exemplos de traidores nacionais saídos das fileiras de suas forças armadas. No Brasil, temos os casos de Luiz Carlos Prestes e Carlos Lamarca, dois oficiais do Exército Brasileiro que preferiram aderir aos interesses revolucionários de nações comunistas internacionais (sendo a maior expoente, na época, a União Soviética), abandonando as fileiras das forças de defesa dos países que juraram proteger com a própria vida se preciso fosse.
Hoje sabemos que existe no mundo um consórcio maligno formado por forças globalistas e meta-capitalistas, unidas a um partido comunista que domina há 70 anos com mão de ferro e total controle social a maior nação asiática. Está cada vez mais claro que este consórcio tem como um de seus principais objetivos a supressão de todos nossos direitos mais essenciais, especialmente a liberdade de pensamento e expressão, o direito de ir e vir, e os direitos religiosos.
Ao analisar este cenário geopolítico atual é impossível não fazer um paralelo com o mundo do final da década de 30 do século passado, que se encontrava sob uma ameaça tão terrível quanto a que estamos vivendo hoje. Naqueles tempos, o mundo assistia assombrado um partido totalitário de cunho nacional-socialista dominar a nação mais bem-sucedida da Europa e espalhar a opressão e o terror entre a sua própria população, enquanto começava a estender suas garras sobre os países vizinhos.
Após Hitler invadir e anexar aos seus domínios a Áustria e os Sudetos (região da extinta Tchecoeslováquia), os povos dos demais países europeus atingiram um nível de preocupação e tensão elevadíssimo, mas ainda assim, nenhuma nação ousou reagir aos crimes cometidos pelo regime nazista. Este fato nos remete à displicência das nações mundiais diante dos absurdos cometidos pelo regime ditatorial da nação oriental que atualmente avança sobre o mundo. Pois é, qualquer semelhança não é mera coincidência.
Naquele momento, a reação do mundo livre tardou, mas finalmente aconteceu. Após a invasão de mais um país, desta vez a Polônia, o regime nazista recebeu a declaração de guerra por parte do Reino Unido e da França, enquanto os demais países europeus insistiam em uma neutralidade desconfiada. O fato é que a Alemanha nazista havia se transformado em uma gigantesca máquina de guerra, com sua fama alimentada por um bem elaborado plano de propaganda que incluía produções audiovisuais de um certo grau de qualidade, algo até então inédito.
Neste contexto, as demais nações se sentiam acuadas, intimidadas perante a auto aclamada superioridade nazista, e assim sendo, preferiram assumir uma postura de neutralidade acreditando que estariam livres dos tentáculos da máquina de guerra germânica. Um erro crasso. E causa espanto que ainda hoje certas nações ao redor do mundo ainda optem por este tipo de ação perante um regime ditatorial que está de pé e a cada dia que passa dá amostras de não ter limites para seu apetite de dominação.
Voltando à Segunda Guerra Mundial, a essa altura oficialmente declarada, o início dos combates foi extremamente desolador para as nações aliadas. As tropas britânicas sofreram grandes derrotas, e só não foram completamente deflagradas graças ao episódio conhecido como “o milagre de Dunquerque”. Para quem tiver interesse em saber mais sobre este momento crucial da guerra recomendo o excelente filme “Dunquerque” de Christopher Nolan.
A situação da França foi ainda mais desoladora, com os alemães invadindo o território francês e impondo uma derrota avassaladora, além de termos de rendição humilhantes. Neles ficou definido que o país seria repartido e o regime nazista dominaria 2/3 dos territórios franceses enquanto o terço mais ao sul ficaria sob domínio de uma administração fantoche com sede na cidade de Vichy.
Esse arranjo só foi possível graças a complacência de alguns figurões da política francesa, liderados por uma das personagens que fazem parte da trinca de militares que estão sendo analisadas neste artigo, seu nome era Henri Philippe Benoni Omer Joseph Pétain, ou somente Marechal Pétain. Pétain foi um herói na Primeira Guerra Mundial, tendo sido decisivo nas batalhas finais ocorridas em solo francês e que fizeram a balança pender a favor da tríplice aliança. Por sua atuação ficou conhecido como o Leão de Verdun.
Hoje seu nome é sinônimo de infâmia, traição e colaboracionismo com o inimigo. O marechal foi designado chefe de estado da França com a missão de obter um acordo de paz com os invasores nazistas, o que fez com muito gosto. Pétain ficou tão satisfeito com o jugo nazista sobre seu povo que impôs ao estado fantoche francês leis antissemitas ainda mais terríveis do que as que a própria Alemanha havia criado.
Até a liberação da França pelas forças aliadas em 1944, estima-se que o regime do traidor Pétain tenha deportado cerca de 75 mil judeus para campos de concentração nazistas, de onde menos de 2 mil conseguiram sair com vida. Ao fim da guerra, o chefe de estado foi julgado e condenado à pena de morte por seus crimes, tendo sua pena substituída por prisão perpétua devido a sua idade avançada e sua condição de herói da primeira guerra. Entretanto, os demais condenados por colaborar com o inimigo não tiveram a mesma sorte que o marechal e pagaram com a vida pelos crimes cometidos.
Enquanto a França lidou a maior parte da guerra com a desonra e humilhação de ter os alemães dominando seu país por meio de suas tropas ou de seus fantoches, o Reino Unido adotou uma postura completamente oposta. Após o episódio de Dunquerque, o Reino Unido se viu na obrigação de reestruturar suas defesas contra os nazistas, que por sua vez pretendiam usar o território do norte francês, que devido à sua proximidade ao território britânico, seria a base avançada no objetivo de invadir a ilha.
Recém-nomeado primeiro-ministro britânico, um pouco antes da batalha de Dunquerque, Sir Winston Leonard Spencer-Churchill, outro de nossas três personagens, decidiu então direcionar todos os esforços nacionais para organizar as forças armadas e a população do Reino Unido a resistir aos ataques nazistas e em seguida conseguir derrotar o poderoso inimigo.
É curioso que Churchill tenha sido alçado ao cargo de primeiro-ministro do Reino Unido, uma vez que, poucos meses antes do início oficial da guerra, o ex-tenente coronel fora chamado de belicista, radical e extremista por políticos e a parte liberal (leia-se esquerdista) da imprensa britânica. Na verdade, hoje sabemos que Churchill foi um dos únicos a perceber e denunciar a ameaça que representava os projetos de domínio global da Alemanha Nazista na época. Mais uma vez, podemos fazer um paralelo com o momento que vivemos atualmente.
Hoje, toda voz que se levanta para denunciar os planos de dominação mundial do regime ditatorial comunista que vem da Ásia, é acusado de extremista, racista, fascista e todo tipo de “ista” possível. Quando não, é um paranóico, adepto de teorias da conspiração. Churchill hoje seria considerado um louco, belicista e paranóico? Certamente que sim. Como diz o guru dos comunistas, Marx: A história se repete, primeiro como tragédia e depois como farsa.
Mas como diz a sabedoria popular, Deus escreve certo por linhas tortas. O homem que fora tão insultado dentro do seu próprio país foi o responsável por tirá-lo da beira da dominação nazista. A custa de muito “sangue, sofrimento, lágrimas e suor”, liderou a reviravolta nos campos de batalhas que levariam as nações aliadas a destruir o III Reich e restaurar a liberdade na maior parte dos países europeus, salvo aqueles que a partir de então passariam a ser assediados pelo leviatã soviético. Mas isso é assunto para outro texto.
Churchill já era um homem aclamado em seu país, também era um herói de guerra e possuía uma ficha de brilhantes serviços prestados a sua nação. Com seus feitos históricos liderando os países livres na Segunda Guerra Mundial alcançou um status de herói nacional. Uma verdadeira lenda em todo o mundo. Em 2002, em votação promovida pela BBC, foi eleito o maior britânico de todos os tempos.
Diferente de seu colega Pétain, que foi da glória a infâmia, Churchill foi um homem que soube entender o zeitgeist da primeira metade do século XX e ainda hoje é uma referência para os amantes da liberdade e patriotas em todas as partes do mundo.
Por isso, para surpresa de zero pessoas, começamos a ver movimentos como o realizado pelo presidente globalista francês Emmanuel Macron, que fez um esforço para reabilitar o nome de Pétain em 2018, ano em que se comemorou os 100 anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Por este fato, o atual presidente francês sofreu duras críticas dentro do próprio país.
E mais recentemente, vimos neste ano de 2020, grupos antifas querendo derrubar uma estátua de Churchill em Londres. Sim, ele mesmo. O homem que livrou a Europa do nazismo e do fascimo se tornou alvo dos terroristas que vestem camisas pretas e levantam os punhos.
Então, com toda esta história recente, recheada de exemplos de figuras militares e estadistas que optaram por caminhos diametralmente opostos nos momentos em que suas pátrias mais necessitaram, nos causa estranheza ao ver um general do Exército Brasileiro e atual vice-presidente da república como o senhor Antônio Hamilton Martins Mourão, vir a público por diversas vezes defender interesses de empresas de telecomunicações que, além de estrangeiras, também se encontram em posição de subordinação ao partido que comanda o seu país de origem.
Mourão também é possuidor de uma extensa ficha de serviços prestados a pátria e detentor de grande prestígio junto a população desde que passou a ter uma voz alinhada aos anseios da população em oposição aos governos petistas que assolaram o Brasil de 2002 até 2016. Com suas falas críticas em relação as sandices petistas, o nome do general ganhou apelo político a ponto de ter se tornado o vice-presidente na chapa patriota comandada por Bolsonaro.
Não restam dúvidas que Mourão teve um passado glorioso como militar, assim como os mencionados Pétain e Churchill. A grande questão é: Mourão, como liderança política, vai optar por ser um traidor ou herói? Como general de 4 estrelas das forças terrestres, podemos cogitar que o vice-presidente tenha estudado a biografia dos grandes líderes militares das maiores potências mundiais.
E se Mourão conhece a história dos mandatários francês e britânico devemos nos preocupar quando o próprio exalta a gigante da tecnologia oriental? Ainda mais quando esta mesma empresa é acusada de roubo de informações e espionagem pelas principais agências de inteligência do mundo? E por qual motivo Mourão está tão envolvido neste assunto sendo que não é a ele que cabe as decisões nesta área de telecomunicações?
O fato é que, aos brasileiros comuns sem altos cargos públicos e acesso a informações sensíveis à nação, nos causa muito espanto ver um Mourão completamente a vontade em defender as vantagens da empresa do país do dragão e considerar a participação desta fundamental nos leilões da quinta geração de comunicações, em detrimento das outras concorrentes, sobre as quais o vice-presidente não dá sequer uma palavra de incentivo.
Estaria o general da reserva atuando como lobista desta empresa? Ou seria ele um profundo conhecedor das estratégias de contrainformação contidas na obra “A Arte da Guerra”, do chinês Sun Tzu, e estaria então fazendo o famoso jogo de cena? Por via das dúvidas deixaria aqui uma sugestão ao Sr. Hamilton Mourão: Releia as biografias de Pétain e Churchill, e não escolha o exemplo errado a seguir.
submitted by GuilhermeSPD to brasilivre [link] [comments]


2020.08.12 02:03 GuilhermeSPD Mourão: Entre Churchill e Pétain.

Mourão: Entre Churchill e Pétain.

Da esquerda para direita: Philippe Pétain, Hamilton Mourão e Winston Churchill.
A história militar, não só brasileira mas também mundial está repleta de exemplos de traidores nacionais saídos das fileiras de suas forças armadas. No Brasil, temos os casos de Luiz Carlos Prestes e Carlos Lamarca, dois oficiais do Exército Brasileiro que preferiram aderir aos interesses revolucionários de nações comunistas internacionais (sendo a maior expoente, na época, a União Soviética), abandonando as fileiras das forças de defesa dos países que juraram proteger com a própria vida se preciso fosse.
Hoje sabemos que existe no mundo um consórcio maligno formado por forças globalistas e meta-capitalistas, unidas a um partido comunista que domina há 70 anos com mão de ferro e total controle social a maior nação asiática. Está cada vez mais claro que este consórcio tem como um de seus principais objetivos a supressão de todos nossos direitos mais essenciais, especialmente a liberdade de pensamento e expressão, o direito de ir e vir, e os direitos religiosos.
Ao analisar este cenário geopolítico atual é impossível não fazer um paralelo com o mundo do final da década de 30 do século passado, que se encontrava sob uma ameaça tão terrível quanto a que estamos vivendo hoje. Naqueles tempos, o mundo assistia assombrado um partido totalitário de cunho nacional-socialista dominar a nação mais bem-sucedida da Europa e espalhar a opressão e o terror entre a sua própria população, enquanto começava a estender suas garras sobre os países vizinhos.
Após Hitler invadir e anexar aos seus domínios a Áustria e os Sudetos (região da extinta Tchecoeslováquia), os povos dos demais países europeus atingiram um nível de preocupação e tensão elevadíssimo, mas ainda assim, nenhuma nação ousou reagir aos crimes cometidos pelo regime nazista. Este fato nos remete à displicência das nações mundiais diante dos absurdos cometidos pelo regime ditatorial da nação oriental que atualmente avança sobre o mundo. Pois é, qualquer semelhança não é mera coincidência.
Naquele momento, a reação do mundo livre tardou, mas finalmente aconteceu. Após a invasão de mais um país, desta vez a Polônia, o regime nazista recebeu a declaração de guerra por parte do Reino Unido e da França, enquanto os demais países europeus insistiam em uma neutralidade desconfiada. O fato é que a Alemanha nazista havia se transformado em uma gigantesca máquina de guerra, com sua fama alimentada por um bem elaborado plano de propaganda que incluía produções audiovisuais de um certo grau de qualidade, algo até então inédito.
Neste contexto, as demais nações se sentiam acuadas, intimidadas perante a auto aclamada superioridade nazista, e assim sendo, preferiram assumir uma postura de neutralidade acreditando que estariam livres dos tentáculos da máquina de guerra germânica. Um erro crasso. E causa espanto que ainda hoje certas nações ao redor do mundo ainda optem por este tipo de ação perante um regime ditatorial que está de pé e a cada dia que passa dá amostras de não ter limites para seu apetite de dominação.
Voltando à Segunda Guerra Mundial, a essa altura oficialmente declarada, o início dos combates foi extremamente desolador para as nações aliadas. As tropas britânicas sofreram grandes derrotas, e só não foram completamente deflagradas graças ao episódio conhecido como “o milagre de Dunquerque”. Para quem tiver interesse em saber mais sobre este momento crucial da guerra recomendo o excelente filme “Dunquerque” de Christopher Nolan.
A situação da França foi ainda mais desoladora, com os alemães invadindo o território francês e impondo uma derrota avassaladora, além de termos de rendição humilhantes. Neles ficou definido que o país seria repartido e o regime nazista dominaria 2/3 dos territórios franceses enquanto o terço mais ao sul ficaria sob domínio de uma administração fantoche com sede na cidade de Vichy.
Esse arranjo só foi possível graças a complacência de alguns figurões da política francesa, liderados por uma das personagens que fazem parte da trinca de militares que estão sendo analisadas neste artigo, seu nome era Henri Philippe Benoni Omer Joseph Pétain, ou somente Marechal Pétain. Pétain foi um herói na Primeira Guerra Mundial, tendo sido decisivo nas batalhas finais ocorridas em solo francês e que fizeram a balança pender a favor da tríplice aliança. Por sua atuação ficou conhecido como o Leão de Verdun.
Hoje seu nome é sinônimo de infâmia, traição e colaboracionismo com o inimigo. O marechal foi designado chefe de estado da França com a missão de obter um acordo de paz com os invasores nazistas, o que fez com muito gosto. Pétain ficou tão satisfeito com o jugo nazista sobre seu povo que impôs ao estado fantoche francês leis antissemitas ainda mais terríveis do que as que a própria Alemanha havia criado.
Até a liberação da França pelas forças aliadas em 1944, estima-se que o regime do traidor Pétain tenha deportado cerca de 75 mil judeus para campos de concentração nazistas, de onde menos de 2 mil conseguiram sair com vida. Ao fim da guerra, o chefe de estado foi julgado e condenado à pena de morte por seus crimes, tendo sua pena substituída por prisão perpétua devido a sua idade avançada e sua condição de herói da primeira guerra. Entretanto, os demais condenados por colaborar com o inimigo não tiveram a mesma sorte que o marechal e pagaram com a vida pelos crimes cometidos.
Enquanto a França lidou a maior parte da guerra com a desonra e humilhação de ter os alemães dominando seu país por meio de suas tropas ou de seus fantoches, o Reino Unido adotou uma postura completamente oposta. Após o episódio de Dunquerque, o Reino Unido se viu na obrigação de reestruturar suas defesas contra os nazistas, que por sua vez pretendiam usar o território do norte francês, que devido à sua proximidade ao território britânico, seria a base avançada no objetivo de invadir a ilha.
Recém-nomeado primeiro-ministro britânico, um pouco antes da batalha de Dunquerque, Sir Winston Leonard Spencer-Churchill, outro de nossas três personagens, decidiu então direcionar todos os esforços nacionais para organizar as forças armadas e a população do Reino Unido a resistir aos ataques nazistas e em seguida conseguir derrotar o poderoso inimigo.
É curioso que Churchill tenha sido alçado ao cargo de primeiro-ministro do Reino Unido, uma vez que, poucos meses antes do início oficial da guerra, o ex-tenente coronel fora chamado de belicista, radical e extremista por políticos e a parte liberal (leia-se esquerdista) da imprensa britânica. Na verdade, hoje sabemos que Churchill foi um dos únicos a perceber e denunciar a ameaça que representava os projetos de domínio global da Alemanha Nazista na época. Mais uma vez, podemos fazer um paralelo com o momento que vivemos atualmente.
Hoje, toda voz que se levanta para denunciar os planos de dominação mundial do regime ditatorial comunista que vem da Ásia, é acusado de extremista, racista, fascista e todo tipo de “ista” possível. Quando não, é um paranóico, adepto de teorias da conspiração. Churchill hoje seria considerado um louco, belicista e paranóico? Certamente que sim. Como diz o guru dos comunistas, Marx: A história se repete, primeiro como tragédia e depois como farsa.
Mas como diz a sabedoria popular, Deus escreve certo por linhas tortas. O homem que fora tão insultado dentro do seu próprio país foi o responsável por tirá-lo da beira da dominação nazista. A custa de muito “sangue, sofrimento, lágrimas e suor”, liderou a reviravolta nos campos de batalhas que levariam as nações aliadas a destruir o III Reich e restaurar a liberdade na maior parte dos países europeus, salvo aqueles que a partir de então passariam a ser assediados pelo leviatã soviético. Mas isso é assunto para outro texto.
Churchill já era um homem aclamado em seu país, também era um herói de guerra e possuía uma ficha de brilhantes serviços prestados a sua nação. Com seus feitos históricos liderando os países livres na Segunda Guerra Mundial alcançou um status de herói nacional. Uma verdadeira lenda em todo o mundo. Em 2002, em votação promovida pela BBC, foi eleito o maior britânico de todos os tempos.
Diferente de seu colega Pétain, que foi da glória a infâmia, Churchill foi um homem que soube entender o zeitgeist da primeira metade do século XX e ainda hoje é uma referência para os amantes da liberdade e patriotas em todas as partes do mundo.
Por isso, para surpresa de zero pessoas, começamos a ver movimentos como o realizado pelo presidente globalista francês Emmanuel Macron, que fez um esforço para reabilitar o nome de Pétain em 2018, ano em que se comemorou os 100 anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Por este fato, o atual presidente francês sofreu duras críticas dentro do próprio país.
E mais recentemente, vimos neste ano de 2020, grupos antifas querendo derrubar uma estátua de Churchill em Londres. Sim, ele mesmo. O homem que livrou a Europa do nazismo e do fascimo se tornou alvo dos terroristas que vestem camisas pretas e levantam os punhos.
Então, com toda esta história recente, recheada de exemplos de figuras militares e estadistas que optaram por caminhos diametralmente opostos nos momentos em que suas pátrias mais necessitaram, nos causa estranheza ao ver um general do Exército Brasileiro e atual vice-presidente da república como o senhor Antônio Hamilton Martins Mourão, vir a público por diversas vezes defender interesses de empresas de telecomunicações que, além de estrangeiras, também se encontram em posição de subordinação ao partido que comanda o seu país de origem.
Mourão também é possuidor de uma extensa ficha de serviços prestados a pátria e detentor de grande prestígio junto a população desde que passou a ter uma voz alinhada aos anseios da população em oposição aos governos petistas que assolaram o Brasil de 2002 até 2016. Com suas falas críticas em relação as sandices petistas, o nome do general ganhou apelo político a ponto de ter se tornado o vice-presidente na chapa patriota comandada por Bolsonaro.
Não restam dúvidas que Mourão teve um passado glorioso como militar, assim como os mencionados Pétain e Churchill. A grande questão é: Mourão, como liderança política, vai optar por ser um traidor ou herói? Como general de 4 estrelas das forças terrestres, podemos cogitar que o vice-presidente tenha estudado a biografia dos grandes líderes militares das maiores potências mundiais.
E se Mourão conhece a história dos mandatários francês e britânico devemos nos preocupar quando o próprio exalta a gigante da tecnologia oriental? Ainda mais quando esta mesma empresa é acusada de roubo de informações e espionagem pelas principais agências de inteligência do mundo? E por qual motivo Mourão está tão envolvido neste assunto sendo que não é a ele que cabe as decisões nesta área de telecomunicações?
O fato é que, aos brasileiros comuns sem altos cargos públicos e acesso a informações sensíveis à nação, nos causa muito espanto ver um Mourão completamente a vontade em defender as vantagens da empresa do país do dragão e considerar a participação desta fundamental nos leilões da quinta geração de comunicações, em detrimento das outras concorrentes, sobre as quais o vice-presidente não dá sequer uma palavra de incentivo.
Estaria o general da reserva atuando como lobista desta empresa? Ou seria ele um profundo conhecedor das estratégias de contrainformação contidas na obra “A Arte da Guerra”, do chinês Sun Tzu, e estaria então fazendo o famoso jogo de cena? Por via das dúvidas deixaria aqui uma sugestão ao Sr. Hamilton Mourão: Releia as biografias de Pétain e Churchill, e não escolha o exemplo errado a seguir.
submitted by GuilhermeSPD to Direita [link] [comments]


2020.08.12 01:56 GuilhermeSPD Mourão: Entre Churchill e Pétain.


Da esquerda para direita: Philippe Pétain, Hamilton Mourão e Winston Churchill.
A história militar, não só brasileira mas também mundial está repleta de exemplos de traidores nacionais saídos das fileiras de suas forças armadas. No Brasil, temos os casos de Luiz Carlos Prestes e Carlos Lamarca, dois oficiais do Exército Brasileiro que preferiram aderir aos interesses revolucionários de nações comunistas internacionais (sendo a maior expoente, na época, a União Soviética), abandonando as fileiras das forças de defesa dos países que juraram proteger com a própria vida se preciso fosse.
Hoje sabemos que existe no mundo um consórcio maligno formado por forças globalistas e meta-capitalistas, unidas a um partido comunista que domina há 70 anos com mão de ferro e total controle social a maior nação asiática. Está cada vez mais claro que este consórcio tem como um de seus principais objetivos a supressão de todos nossos direitos mais essenciais, especialmente a liberdade de pensamento e expressão, o direito de ir e vir, e os direitos religiosos.
Ao analisar este cenário geopolítico atual é impossível não fazer um paralelo com o mundo do final da década de 30 do século passado, que se encontrava sob uma ameaça tão terrível quanto a que estamos vivendo hoje. Naqueles tempos, o mundo assistia assombrado um partido totalitário de cunho nacional-socialista dominar a nação mais bem-sucedida da Europa e espalhar a opressão e o terror entre a sua própria população, enquanto começava a estender suas garras sobre os países vizinhos.
Após Hitler invadir e anexar aos seus domínios a Áustria e os Sudetos (região da extinta Tchecoeslováquia), os povos dos demais países europeus atingiram um nível de preocupação e tensão elevadíssimo, mas ainda assim, nenhuma nação ousou reagir aos crimes cometidos pelo regime nazista. Este fato nos remete à displicência das nações mundiais diante dos absurdos cometidos pelo regime ditatorial da nação oriental que atualmente avança sobre o mundo. Pois é, qualquer semelhança não é mera coincidência.
Naquele momento, a reação do mundo livre tardou, mas finalmente aconteceu. Após a invasão de mais um país, desta vez a Polônia, o regime nazista recebeu a declaração de guerra por parte do Reino Unido e da França, enquanto os demais países europeus insistiam em uma neutralidade desconfiada. O fato é que a Alemanha nazista havia se transformado em uma gigantesca máquina de guerra, com sua fama alimentada por um bem elaborado plano de propaganda que incluía produções audiovisuais de um certo grau de qualidade, algo até então inédito.
Neste contexto, as demais nações se sentiam acuadas, intimidadas perante a auto aclamada superioridade nazista, e assim sendo, preferiram assumir uma postura de neutralidade acreditando que estariam livres dos tentáculos da máquina de guerra germânica. Um erro crasso. E causa espanto que ainda hoje certas nações ao redor do mundo ainda optem por este tipo de ação perante um regime ditatorial que está de pé e a cada dia que passa dá amostras de não ter limites para seu apetite de dominação.
Voltando à Segunda Guerra Mundial, a essa altura oficialmente declarada, o início dos combates foi extremamente desolador para as nações aliadas. As tropas britânicas sofreram grandes derrotas, e só não foram completamente deflagradas graças ao episódio conhecido como “o milagre de Dunquerque”. Para quem tiver interesse em saber mais sobre este momento crucial da guerra recomendo o excelente filme “Dunquerque” de Christopher Nolan.
A situação da França foi ainda mais desoladora, com os alemães invadindo o território francês e impondo uma derrota avassaladora, além de termos de rendição humilhantes. Neles ficou definido que o país seria repartido e o regime nazista dominaria 2/3 dos territórios franceses enquanto o terço mais ao sul ficaria sob domínio de uma administração fantoche com sede na cidade de Vichy.
Esse arranjo só foi possível graças a complacência de alguns figurões da política francesa, liderados por uma das personagens que fazem parte da trinca de militares que estão sendo analisadas neste artigo, seu nome era Henri Philippe Benoni Omer Joseph Pétain, ou somente Marechal Pétain. Pétain foi um herói na Primeira Guerra Mundial, tendo sido decisivo nas batalhas finais ocorridas em solo francês e que fizeram a balança pender a favor da tríplice aliança. Por sua atuação ficou conhecido como o Leão de Verdun.
Hoje seu nome é sinônimo de infâmia, traição e colaboracionismo com o inimigo. O marechal foi designado chefe de estado da França com a missão de obter um acordo de paz com os invasores nazistas, o que fez com muito gosto. Pétain ficou tão satisfeito com o jugo nazista sobre seu povo que impôs ao estado fantoche francês leis antissemitas ainda mais terríveis do que as que a própria Alemanha havia criado.
Até a liberação da França pelas forças aliadas em 1944, estima-se que o regime do traidor Pétain tenha deportado cerca de 75 mil judeus para campos de concentração nazistas, de onde menos de 2 mil conseguiram sair com vida. Ao fim da guerra, o chefe de estado foi julgado e condenado à pena de morte por seus crimes, tendo sua pena substituída por prisão perpétua devido a sua idade avançada e sua condição de herói da primeira guerra. Entretanto, os demais condenados por colaborar com o inimigo não tiveram a mesma sorte que o marechal e pagaram com a vida pelos crimes cometidos.
Enquanto a França lidou a maior parte da guerra com a desonra e humilhação de ter os alemães dominando seu país por meio de suas tropas ou de seus fantoches, o Reino Unido adotou uma postura completamente oposta. Após o episódio de Dunquerque, o Reino Unido se viu na obrigação de reestruturar suas defesas contra os nazistas, que por sua vez pretendiam usar o território do norte francês, que devido à sua proximidade ao território britânico, seria a base avançada no objetivo de invadir a ilha.
Recém-nomeado primeiro-ministro britânico, um pouco antes da batalha de Dunquerque, Sir Winston Leonard Spencer-Churchill, outro de nossas três personagens, decidiu então direcionar todos os esforços nacionais para organizar as forças armadas e a população do Reino Unido a resistir aos ataques nazistas e em seguida conseguir derrotar o poderoso inimigo.
É curioso que Churchill tenha sido alçado ao cargo de primeiro-ministro do Reino Unido, uma vez que, poucos meses antes do início oficial da guerra, o ex-tenente coronel fora chamado de belicista, radical e extremista por políticos e a parte liberal (leia-se esquerdista) da imprensa britânica. Na verdade, hoje sabemos que Churchill foi um dos únicos a perceber e denunciar a ameaça que representava os projetos de domínio global da Alemanha Nazista na época. Mais uma vez, podemos fazer um paralelo com o momento que vivemos atualmente.
Hoje, toda voz que se levanta para denunciar os planos de dominação mundial do regime ditatorial comunista que vem da Ásia, é acusado de extremista, racista, fascista e todo tipo de “ista” possível. Quando não, é um paranóico, adepto de teorias da conspiração. Churchill hoje seria considerado um louco, belicista e paranóico? Certamente que sim. Como diz o guru dos comunistas, Marx: A história se repete, primeiro como tragédia e depois como farsa.
Mas como diz a sabedoria popular, Deus escreve certo por linhas tortas. O homem que fora tão insultado dentro do seu próprio país foi o responsável por tirá-lo da beira da dominação nazista. A custa de muito “sangue, sofrimento, lágrimas e suor”, liderou a reviravolta nos campos de batalhas que levariam as nações aliadas a destruir o III Reich e restaurar a liberdade na maior parte dos países europeus, salvo aqueles que a partir de então passariam a ser assediados pelo leviatã soviético. Mas isso é assunto para outro texto.
Churchill já era um homem aclamado em seu país, também era um herói de guerra e possuía uma ficha de brilhantes serviços prestados a sua nação. Com seus feitos históricos liderando os países livres na Segunda Guerra Mundial alcançou um status de herói nacional. Uma verdadeira lenda em todo o mundo. Em 2002, em votação promovida pela BBC, foi eleito o maior britânico de todos os tempos.
Diferente de seu colega Pétain, que foi da glória a infâmia, Churchill foi um homem que soube entender o zeitgeist da primeira metade do século XX e ainda hoje é uma referência para os amantes da liberdade e patriotas em todas as partes do mundo.
Por isso, para surpresa de zero pessoas, começamos a ver movimentos como o realizado pelo presidente globalista francês Emmanuel Macron, que fez um esforço para reabilitar o nome de Pétain em 2018, ano em que se comemorou os 100 anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Por este fato, o atual presidente francês sofreu duras críticas dentro do próprio país.
E mais recentemente, vimos neste ano de 2020, grupos antifas querendo derrubar uma estátua de Churchill em Londres. Sim, ele mesmo. O homem que livrou a Europa do nazismo e do fascimo se tornou alvo dos terroristas que vestem camisas pretas e levantam os punhos.
Então, com toda esta história recente, recheada de exemplos de figuras militares e estadistas que optaram por caminhos diametralmente opostos nos momentos em que suas pátrias mais necessitaram, nos causa estranheza ao ver um general do Exército Brasileiro e atual vice-presidente da república como o senhor Antônio Hamilton Martins Mourão, vir a público por diversas vezes defender interesses de empresas de telecomunicações que, além de estrangeiras, também se encontram em posição de subordinação ao partido que comanda o seu país de origem.
Mourão também é possuidor de uma extensa ficha de serviços prestados a pátria e detentor de grande prestígio junto a população desde que passou a ter uma voz alinhada aos anseios da população em oposição aos governos petistas que assolaram o Brasil de 2002 até 2016. Com suas falas críticas em relação as sandices petistas, o nome do general ganhou apelo político a ponto de ter se tornado o vice-presidente na chapa patriota comandada por Bolsonaro.
Não restam dúvidas que Mourão teve um passado glorioso como militar, assim como os mencionados Pétain e Churchill. A grande questão é: Mourão, como liderança política, vai optar por ser um traidor ou herói? Como general de 4 estrelas das forças terrestres, podemos cogitar que o vice-presidente tenha estudado a biografia dos grandes líderes militares das maiores potências mundiais.
E se Mourão conhece a história dos mandatários francês e britânico devemos nos preocupar quando o próprio exalta a gigante da tecnologia oriental? Ainda mais quando esta mesma empresa é acusada de roubo de informações e espionagem pelas principais agências de inteligência do mundo? E por qual motivo Mourão está tão envolvido neste assunto sendo que não é a ele que cabe as decisões nesta área de telecomunicações?
O fato é que, aos brasileiros comuns sem altos cargos públicos e acesso a informações sensíveis à nação, nos causa muito espanto ver um Mourão completamente a vontade em defender as vantagens da empresa do país do dragão e considerar a participação desta fundamental nos leilões da quinta geração de comunicações, em detrimento das outras concorrentes, sobre as quais o vice-presidente não dá sequer uma palavra de incentivo.
Estaria o general da reserva atuando como lobista desta empresa? Ou seria ele um profundo conhecedor das estratégias de contrainformação contidas na obra “A Arte da Guerra”, do chinês Sun Tzu, e estaria então fazendo o famoso jogo de cena? Por via das dúvidas deixaria aqui uma sugestão ao Sr. Hamilton Mourão: Releia as biografias de Pétain e Churchill, e não escolha o exemplo errado a seguir.
submitted by GuilhermeSPD to Bolsonaro [link] [comments]


2020.07.18 08:30 rafaspbarbie A AMANTE.

Oi genty, povo tudo vocês, Lubisco, gatitas, editores, turma, galero, convidado não por que né QUARENTENA, mds to nervouser. Essa história é a história de como eu virei a amante de um cara. Como é uma história anônima, vou mudar os nomes tudo. Se preparem pois ela é looooonga
Bom, em meados de 2016, tinha voltado a estudar na Tijolinhos (nome fictício de uma escola particular em Brotas-SP) depois de repetir de ano e tal. Lá conheci a Joséfa, que virou minha melhor amiga pra vida (ou não, né?), e desse rolê todo boa parte foi culpa dela (TÔ DE OLHO JOSÉFA). Um lindo dia na escola, tava eu lá, com vontade de fazer pipi, ou só me olhar no espelho pra ver o quão bonitona eu tava, e quando tava descendo eu vi ELE, Pablo, na sua escadinha de técnico de Wi-Fi, skksksksksks ele era lindimais (bom, eu achava né) e daí eu passei por ele, trocamos olhares bem calientes, mas ficou por isso.
Logo de noite ele me adicionou no SNAP, sim, snapchat. E trocamos muita ideia, ele era muito inteligente e a gente combinava em muitos aspectos, tava xonadinha. Depois de uns dias conversando com ele, o mesmo apareceu na escola de novo, E DAÍ QUE COMEÇA A MERDA. Estava sentada com Joséfa e comentei:
Na hora eu mandei mensagem pra ele falando um monte de coisa, que era um absurdo ele namorar e falar comigo daquela forma, insinuando coisas, falando pra gente ficar e tal e que eu seria só amiga dele a partir daquilo, AHAM.
Daí entra a parte importante da Joséfa na história. A doida nada mais nada menos me chamou pra fazer vôlei com ela, e eu fui, tinha dois horários, o das kids e dos adultos, íamos nos dois. Fomos no primeiro horário, e partimos pro segundo logo em seguida. Então tava eu lá, linda e plena mexendo no celular e daí a anta da Joséfa começa a dar risada olhando pra longe, eis que me vem à imagem de quem? PABLO. Ela já sabia que ele fazia vôlei, acho que ela queria ver o circo pegar fogo, MESMO. Ele me cumprimentou todo sem graça, mas sempre trocando olhares comigo do tipo "te quero" e eu me segurando pra não pular nele ali mesmo. A gente continuou conversando normalmente, mas havia um flerte sim, mesmo que muito inocente.
Mais pra frente, decidi chamar ele pra conversar, falar pra ele que eu estava gostando dele de verdade, combinamos de conversar depois do vôlei e ele me daria uma carona até a casa dele. A conversa foi basicamente os dois se olhando na maior vontade, eu falando que gosto dele, ele retribuindo, mas também falei que não faria nada em respeito a namorada, AHAM². Durante a conversa teve troca de carícias, muitos abraços, carinhos e olhos nos olhos. Quando íamos pro estacionamento pegar a moto dele, ele me levou para um canto escuro e tentou me beijar, mas dei um abraço porquê não tava me dando por vencida. Quando subimos na moto, ele me disse que ia passar na casa dele pra pegar o carro pois seria mais confortável pros dois (o que ia ser mais confortável hein, Sr. Pablo?!), mas que não era pra me preocupar pois não teria ninguém em casa... MAS TINHA! A família toda dele tava lá, mãe, padrasto, irmãos.. entrei lá com a maior vergonha, ainda tive que ouvir do irmão "quem é essa menina estranha?" Fui pro QUARTO dele, sentei lá na cama e fiquei um tempo ali absorvendo tudo, enquanto ouvia ele falando com a mãe sobre mim, "apenas uma amiga"... sei (foi exatamente o que a mãe dele disse, não tínhamos muita credibilidade). Fomos pra minha casa e ele tentou me beijar de novo, mas não rolou, ainda achava que não daria o gostinho pra ele.
Continuamos conversando e tendo uma relação bem inocente, e era muito bom, confesso. A gente ainda ia no vôlei, ele me dava caronas, era bem discreto e bom, como aqueles romances dos anos 50 que não havia nem beijo, o sentimento se mostrava em outras demonstrações, no carinho, no toque, nas conversas, nos olhares e era bem assim, me vendo por fora da cena, veria uma garota com cabelos aos ventos sorrindo na garupa de uma moto abraçada em um cara que a fizesse sentir o amor, o vento, borboletas no estômago uma primeira vez.
Eu, Joséfa e Pablo descobrimos que teria uma chuva de meteoros na madrugada de quarta pra quinta, nos animamos muito pra ir, mas no fim iria só eu e ele... era o que eu achava, né? (Só pra constar, não havíamos beijado ainda.) Bom, ele me buscou em casa, fomos pra casa dele buscar cobertores e nisso ele me deu uma camiseta (que eu tenho ate hoje) de unicórnio. Com isso ele me disse que umas pessoas iam junto, fiquei meio assim, mas se não tinha problema pra ele, por que teria pra mim? Só que essas pessoas eram o que? A FAMÍLIA DELE. Primos, tios, tia avó (que aliás, gostou muito de mim) muitos deles achavam que eu era a namorada dele mesmo, pois estávamos muito próximos já. Durante a chuva eu só conseguia olhar pra ele, muitas das vezes ele me fazia olhar pras estrelas (não é atoa que eu o chamo de "Sr. das estrelas"), esperando algum meteoro cair, mas eu não vi nenhum. Enquanto estávamos lá, com a família dele, a gente se acariciava, ele me dava selinhos e eu juro que podia ser só isso pro resto dos meus dias com ele, pra mim estava perfeito. Fomos embora, levamos um dos tios dele pra casa, nisso ele me pergunta se eu queria ir embora já, obviamente disse que não.
Fomos para uma parte onde dava pra olhar bem as estrelas, mas naquele dia eu tava cansada de olhar pra elas. Nós paramos o carro e, naquele momento tudo parecia em câmera lenta, de olhar um para o outro, como tirar o cinto e até na hora do (finalmente) beijo. Sim, naquele momento eu virei A Amante. O beijo foi incrível, tudo se encaixou, foi o melhor beijo da minha vida até hoje, tínhamos química, minha pele se arrepiava só dele me tocar, era tudo como um conto de fadas, só que sem a parte do príncipe encantado.
Eu vivia com ele, vivia na casa dele, assistimos vários filmes, passamos por lugares incríveis, daqueles que faziam a gente suspirar e não querer parar de olhar. Cada vez mais eu me apaixonava, ele me fez sentir coisas que eu nunca senti, me fez ver coisas que eu nunca vi, me fez me maravilhar com as coisas simples, como estrelas. Mas eu sempre ouvia dele que ele sempre era o coitado, de como a Jurema (a tal da namorada) era ruim com ele, das vezes que ela traiu ele, das vezes que ela o tratou mal, mas mal sabia Jurema o que ele fazia também, mal sabia ela o quanto eu me sentia mal por isso. Sempre coloquei na minha cabeça que não tinha motivos para trair, mas que eu me conformei com a situação, achei que, dessa vez, tava tudo bem, até porquê eu tinha ele, né?
Como o tempo, tudo se passava, ele me fazia promessas, me prometia terminar com Jurema, que seríamos felizes, ja estava enjoada de ser rotulada como A Amante, não só por mim, mas por ele, por Joséfa também (que passou vários momentos de vela entre eu e Pablo). Numa dessas fui até na casa da avó dele, joguei truco com sua família, beijei ele na frente deles, (um deles lembra de mim até hoje, fala comigo como se eu fosse a ex oficial dele kkkk). Numa outra saímos com um dos seus amigos, nesse dia descobri que a nossa música era aquela lá, a tal da Cataflor do Tiago Iorc, aquela que toda vez que ouço lembro do dia em que eu ouvi pela primeira vez. Esse tal dia estávamos eu e Pablo em sua casa quando ele recebe uma ligação do seu amigo falando que ele queria vê-lo, Pablo falou que estava com uma "amiga" e esse amigo, o Gerson, disse que tudo bem eu ir junto. Entramos no carro, cumprimentei ele, e logo ligamos o som do carro ouvindo Tiago Iorc num tom bem doce, todos cantando e, no momento que esta começou a tocar, ele segurou a minha mão e disse:
-Ok.
Nisso começa a letra, não era atoa que eu me apaixonei, um cara que disse que me daria todas as flores no mundo mas que nenhuma delas chegava a ter a beleza que eu tinha, que a natureza tentou imitar 'tamanha' beleza mas que falhou, pois não tinha como ter algo tão bonito quanto. Como eu não me apaixonaria? Eu também não sei responder essa.
Logo após um tempo, comecei a cobrar o término dele e ele sempre me dizia que era muito difícil, pois era um relacionamento muito longo (3 anos). Pois bem, um mês depois disso ele terminou, viajou pra cidade dos primos dele, foi em várias festas, beijou várias meninas e depois que voltou, me buscou em casa, fomos pra um dos "nossos" lugares, ele sentou comigo e me contou tudo, das meninas, de quem ele teria ficado, como que ele estava amando ser solteiro e tudo mais. A ficha não tinha caído, ele realmente estava solteiro, não devia mais nada à ex, mas ao mesmo tempo parecia que ele não devia nada à mim também, que o cara que falava aquelas coisas, me fazia sentir aquelas coisas e falava que era apaixonado por mim havia sumido junto com o término dele. E. ISSO. DOEU. MUITO. Ficamos naquele dia, mas eu fiquei extremamente desconfortável, cheguei em casa e chorei por horas, do tipo "será que aquele cara nunca existiu?". Nos afastamos cada vez mais, e cada dia que passava a única oportunidade de ver ele, eu não via.
Teve uma festa, a Semáforo, foram todos meus amigos, me diverti pra caralho, dancei por bosta e por fim, ele estava lá, fiquei com ele várias vezes, fiquei com a Joséfa também (pela primeira vez), demos um beijo triplo, ficamos por maior tempão juntos, até subi no colo dele quando ele tava deitado no sofá kkkk, hoje em dia isso é de boas, mas na época muita gente me julgou. Depois disso nos afastamos de vez.
Umas semanas depois, estava na aula de artes, (na qual a professora era madrasta do Pablo) quando a professora diz:
Olhei pra Joséfa na hora e fiquei muda, aquilo partiu mais ainda meu coraçãozinho. Mas o que não era pra ser, não ia ser, não é?
Bom, gente, essa foi a minha história. O Pablo continua com a Múmia, mas não adianta ter uma aliança no dedo DE NOVO, e ainda olhar pra mim com a mesma cara de apaixonado de antes, vir me seguir nas redes e ainda dar em cima de mim, TÁ PABLO??? VÊ SE APRENDE A RESPEITAR A SUA MULHER, BEIJOS.
Um beijo no core de vocês, espero que tenham gostado, xau.
submitted by rafaspbarbie to TurmaFeira [link] [comments]


2020.03.09 14:16 Boop108 No one could have asked for a better career. We love you Max. RIP

1949Only a MotherNilsAlf Sjöberg1951Miss Julie)Hand1953Ingen mans kvinna [sv)]OlafLars-Eric Kjellgren1956Rätten att älska [sv)]BergmanMimi Pollak1957The Seventh SealAntonius BlockIngmar BergmanWild Strawberries)Henrik ÅkermanPrästen i Uddarbo [sv]Gustaf ÖmarkKenne Fant1958Brink of LifeHarry AnderssonIngmar BergmanRabies)Bo Stensson SvenningsonThe Magician)Albert Emanuel VoglerKvinnlig spion 503Tysk topagent HorstJørn Jeppesen1960The Virgin SpringTöreIngmar BergmanThe Wedding Day [sv]Anders FrostKenne Fant1961Through a Glass Darkly)MartinIngmar Bergman1962Adventures of Nils HolgerssonThe FatherKenne FantThe Mistress)Married ManVilgot Sjöman1963Winter LightJonas PerssonIngmar Bergman19654x4)KvistJan TroellThe Greatest Story Ever ToldJesus ChristGeorge StevensThe RewardScott SwensonSerge Bourguignon1966Hawaii)Reverend Abner HaleGeorge Roy HillThe Quiller MemorandumOktoberMichael Anderson)Here's Your LifeSmålands-PelleJan Troell1968Hour of the WolfJohan BorgIngmar BergmanBlack Palm Trees [sv]Gustav OlofssonLars-Magnus LindgrenShame)Jan RosenbergIngmar Bergman1969Made in Sweden)Magnus RudJohan BergenstråhleThe Passion of AnnaAndreas WinkelmanIngmar Bergman1970The Kremlin LetterColonel KosnovJohn Huston1971The Night VisitorSalemLászló BenedekThe Emigrants)Karl OskarJan TroellThe Touch)Andreas VergerusIngmar BergmanThe Apple WarRoy LindbergTage Danielsson1972Embassy)GorenkoGordon HesslerThe New LandKarl OskarJan Troell1973The Exorcist)Father Lankester MerrinWilliam Friedkin1974Steppenwolf)Harry HallerFred Haines1975Egg! Egg! A Hardboiled StoryThe FatherHans AlfredsonLe miroir éclateMatthew LawrenceClaude d'AnnaThree Days of the CondorG. JoubertSydney PollackThe Ultimate Warrior)The BaronRobert Clouse1976Dog's HeartProfessor Filipp Filippovich PreobrazenskiAlberto LattuadaIllustrious CorpsesSupreme Court's PresidentFrancesco RosiFoxtrot)LarsenArturo RipsteinThe Desert of the TartarsHortizValerio ZurliniVoyage of the DamnedCaptain SchroederStuart Rosenberg1977Exorcist II: The HereticFather Lankester MerrinJohn BoormanMarch or Die)François MarneauDick RichardsBlack JournalLisa CarpiMauro Bolognini1978Brass TargetShelleyJohn Hough)1979Hurricane)Dr DanielssonJan TroellBugie biancheMarcello HerrigheStefano Rolla [it]1980Death WatchGerald MortenhoeBertrand TavernierFlash Gordon)Ming the MercilessMike Hodges1981Escape to VictoryMajor Karl von SteinerJohn Huston1982Conan the Barbarian)King OsricJohn MiliusFlight of the EagleSalomon August AndréeJan TroellHit Man [fr]Colonel O'DonnellJosé Antonio de la Loma [es]1983Le Cercle des passions [fr]Carlo di VilalfrattiClaude d'AnnaStrange BrewBrewmeister SmithRick Moranis Dave Thomas)Never Say Never AgainErnst Stavro BlofeldIrvin Kershner1984Dreamscape)Doctor Paul NovotnyJoseph RubenDune)Doctor KynesDavid Lynch1985Code Name: EmeraldJurgen BrauschJonathan SangerThe RepenterSpinolaPasquale Squitieri1986Hannah and Her SistersFrederickWoody AllenThe Second VictoryDr HuberGerald ThomasThe Wolf at the DoorAugust StrindbergHenning CarlsenDuet for OneDr Louis FeldmanAndrei Konchalovsky1987Pelle the ConquerorLassefar KarlssonBille August1988Katinka)Himself1989Ghostbusters IIVigo (voice)Ivan Reitman1990The Bachelor)Von SchleheimRoberto FaenzaA Violent LifePope Clement VIIGiacomo BattiatoFather)Joe MuellerJohn Power)AwakeningsDr Peter InghamPenny Marshall1991A Kiss Before Dying)Thor CarlssonJames DeardenEuropa)Narrator (voice)Lars von TrierUntil the End of the WorldHenry FarberWim WendersThe Ox)VicarSven NykvistThe Best IntentionsJohan ÅkerblomBille August1992The Silent Touch [pl]Henry KesdiKrzysztof Zanussi1993Grandpa's JourneySimon S.L. FrommStaffan Lamm [sv]Needful Things)Leland GauntFraser C. Heston1994Time is MoneyJoe KaufmanPaolo Barzman1995Judge Dredd)Judge FargoDanny Cannon1996Hamsun)Knut HamsunJan TroellJerusalem)VicarBille August1997Hercules)ZeusRon Clements John MuskerSwedish dub1998What Dreams May Come)The TrackerVincent Ward)1999Snow Falling on Cedars)Nels GudmundssonScott Hicks2001Sleepless)Ulisse MorettiDario ArgentoDruids)GuttuartJacques DorfmannIntactoSamuelJuan Carlos Fresnadillo2002Minority Report)Director Lamar BurgessSteven SpielbergLes amants de MogadorSouheil Ben-Barka2005Heidi)Uncle AlpPaul Marcus2006The Inquiry)TiberiusGiulio Base2007Rush Hour 3Varden ReynardBrett RatnerEmotional ArithmeticJakob BronskiPaolo BarzmanThe Diving Bell and the Butterfly)PapinouJulian Schnabel2009Solomon Kane)Josiah KaneMichael J. BassettA Man and His DogThe CommanderFrancis HusterCameo2010Shutter Island)Dr Jeremiah NaehringMartin ScorseseRobin Hood)Sir Walter LoxleyRidley ScottMoomins and the Comet ChaseNarrator (voice)Maria LindbergThe Wolfman#Extended_cut)Passenger on train (uncredited)Joe JohnstonDirector's cut2011Extremely Loud & Incredibly Close)The RenterStephen Daldry2012Truth & TreasonFrank FikeisBranded)Joseph PascalJamie Bradshaw & Aleksandr Dulerayn2013Dragons 3DDr Alistair ConisMarc Fafard2015The Letters)Father Celeste van ExemWilliam RieadStar Wars: The Force AwakensLor San TekkaJ. J. Abrams2016The First, the LastThe UndertakerBouli Lanners2018Kursk)Vladimir PetrenkoThomas VinterbergTBAEchoes of the PastNikolas Andreou (aged)Nicholas DimitropoulosPost-production
submitted by Boop108 to TrueFilm [link] [comments]


2018.12.30 14:43 BunyipPouch I saw 162 movies in theaters in 2018. Here is my full ranking.

I saw 162 movies in theaters in 2018, so about 3-4 visits per week. That's up from 140 movies in 2017 & 9 movies in 2016. I like to keep track/score/ticket stubs/etc for all of them. I rarely ever go for re-watches (only 3 times this year). I don't have MoviePass/A-List/Sinemia/etc. I use Regal Points quite a lot though. I regularly go to about 6-7 different local theaters depending on what they're showing. Here is my full year-end ranking from favorite to least favorite, including a few small reviews/thoughts/etc for some of them.
The Favourite - 10/10 : One of 3 masterpieces this year IMO (along with Roma & Shoplifters). This was the funniest movie of the year and the best ensemble performance. Stone & Colman could both easily win/deserve the Oscar in their categories. The script is amazing. There's a unique shot/camera movement every 5 minutes. Lanthimos is pretty much my favorite active director and can do no wrong at this point with 5 hits in a row. So many memorable lines, and even a great, surprising performance from Nicholas Hoult. Awesome dry humor & surreal moments, in classic Lanthimos fashion. I don't think I've ever laughed more in a theater than during this movie. The only criticism I can think of is that the last 25% of the film definitely loses a bit of the momentum that was built up, but this is still easily my favorite film of the year.
Mid90s - 10/10
Shoplifters - 10/10 : A masterclass in humanism. Every single character is fleshed out to the point where it feels like you've known them for years. The perfect mix of ambiguity & realism. Kore-eda's best film, and that's obviously saying a lot. I could've watched 5 more hours of Shoplifters.
First Reformed - 9/10
The Death Of Stalin - 9/10
Summer 1993 - 9/10
Black Klansman - 9/10
They Shall Not Grow Old - 9/10
Damsel - 9/10 : My 'Hidden Gem' suggestion of the year. I went in completely blind for this movie and was blown away. Really goes into directions you don't expect, nice twists. Looks great. Mia Wasikowska is a total badass & Robert Pattinson plays an endearing doofus perfectly. You really feel for the guy. Surprisingly dark comedy. Really caps off a great year for Westerns. Easily stuck in my Top 10 throughout the entire year.
First Man - 9/10
Wildlife - 9/10 : Carey Mulligan & Jake Gyllenhaal both deserve awards attention for this movie. Just a perfect snapshot of rural 1960s America that you don't see often in movies. Feels more like a documentary than a movie at times. We were really spoiled with directorial debuts this year but Paul Dano had the most impactful one. I really want to watch this again without a shitty audience. Also, Bill Camp plays a creepy rich guy in a way only he can.
Loveless - 8/10
Leave No Trace - 8/10
Custody - 8/10 - The tension in this movie is pretty much indescribable. Didn't want to move from my seat after it ended. It reminded me a lot of Leviathan or Graduation. European 'real-life' cinema at its finest. Depressing in all the right ways, I guess.
Eighth Grade - 8/10
Blindspotting - 8/10
Thoroughbreds - 8/10
A Star Is Born - 8/10 : Great directing debut by Cooper. Awards-worthy performances by all 3 leads. Solid all around. Not much to say except it did everything well. I could definitely see this becoming a movie that reddit hates/calls overrated after it wins Best Picture though. It just fits that mold perfectly.
Disobedience - 8/10
Isle Of Dogs - 8/10
Lean On Pete - 8/10
Mission Impossible: Fallout - 8/10
The Sisters Brothers - 8/10 : This movie could've used more scenes with Riz Ahmed and Jake Gyllenhaal but that's my only nitpick. Really good Western.
The Miseducation of Cameron Post - 8/10
Beast - 8/10
Beautiful Boy - 8/10 : Insanely good performance by Timothee Chalamet, my pick for the Best Supporting Actor Oscar. Really believable, deep look into dependence & addiction. Amazon fucked up the release (because of course it did), so it won't get the credit it deserved. Steve Carell was pretty distracting in this though, he's had a pretty rough year.
Spider Man: Into the Spiderverse - 8/10 : Best comic book movie of year, for sure. Really unique, funny, well-written, relevant. Had a smile on my face the whole time. Sony's got a real winner here and I wouldn't mind 3-4 more of these. Less Emoji Movie, more Spiderverse. Rooting for this or Isle of Dogs to win the Oscar. I'd be happy with either. Both are a big step above Incredibles 2.
A Private War - 8/10
American Animals - 8/10
Won't You Be My Neighbor? - 8/10
Journey's End - 8/10
Green Book - 8/10 : It's weird seeing how much backlash this movie has gotten in the past couple months. Seems like there's a new controversy surrounding it every few weeks. Mortensen & Ali put in great performances and the story is solid. Pulls at your heart strings but never feels too manipulative. Yeah it feels obviously too clean & polished at times, but it's a solid movie.
A Quiet Place - 8/10
Free Solo - 8/10 : Sweaty Palms: The Movie. Perfectly tense. You never really understand/relate to the main subject of the documentary but I think that adds to the charm of it. Watching a achievement so mindblowing on the big screen was really worth it.
Hearts Beat Loud - 8/10
McQueen - 8/10
Love, Simon - 8/10
In The Fade - 8/10
In Between - 8/10
The Rider - 7/10 : When using amateur actor goes right. Really grounded, beautiful, believable neo-Western.
Old Man & The Gun - 7/10
You Were Never Really Here - 7/10
Foxtrot - 7/10
Goldstone - 7/10 : The Australian Wind River. Great crime-drama that keeps you engaged from start to finish. Unique setting, great characters.
Upgrade - 7/10
Overlord - 7/10
The Guilty - 7/10
What They Had - 7/10 : Solid character-driven family-drama with an awesome performance from Michael Shannon. The dialogue reminded me a bit of Aaron Sorkin. Taissa Farmiga is great.
Game Night - 7/10
Black Panther - 7/10
Ready Player One - 7/10
Avengers: Infinity War - 7/10
The Cakemaker - 7/10
The Insult - 7/10
Creed II - 7/10
Tully - 7/10
Deadpool 2 - 7/10
Support the Girls - 7/10
Solo: A Star Wars Story - 7/10
Incredibles 2 - 7/10
Searching - 7/10
Vice - 7/10 : Most disappointing movie of the year for me. This was all over the place and unfocused. Adam McKay tried to do way too much and it really backfired. The narration was sloppy and the actual story jumped around too much, it was impossible to focus in. He tried to replicate the lighting-in-a-bottle he caught with The Big Short but it didn't work out at all. Christian Bale was great but that's about it. I was really hyped for this but walked out underwhelmed.
Boy Erased - 7/10
Colette - 7/10
Crazy Rich Asians - 7/10
Widows - 7/10
Vox Lux - 7/10 : There's a reallllly good film hidden in here somewhere. Brady Corbet & Lol Crowley are absolutely a director & cinematographer to watch out for. They did some really 'out-there' and risky stuff with this one and a lot of it landed really well (...some not so much). It's just the ending that completely deflated the movie, and some awkward pacing throughout. This had the potential of a 9/10, just completely ruined with the ending. Could've used some more editing/cutting.
Mary, Queen of Scots - 7/10
Unsane - 7/10
A Fantastic Woman - 7/10
The Night Eats The World - 7/10 : Fresh take on the zombie genre. It's more about survival than actual zombie fighting, which I really liked. It's how I imagine a world-ending zombie apocalypse would actually go. It's a real slow-burn so it's definitely not for everyone. Not much actually happens for most of the movie.
Bumblebee - 7/10
Chappaquiddick - 7/10
Adrift - 7/10
Bag Of Marbles - 7/10
Puzzle - 7/10
Three Identical Strangers - 7/10
The Wife - 7/10
Instant Family - 7/10
Red Sparrow - 7/10 : I actually don't think this was as bad as most other people thought. Jennifer Lawrence puts in a great performance and I'm a sucker for Cold War-era spy-thrillers. The biggest problem was the runtime. This really needed to be cut down by at least 20 minutes, preferably even 30 minutes. There is absolutely no excuse for this movie being almost 2.5 hours.
Tag - 7/10
After Auschwitz - 7/10
Can You Ever Forgive Me? - 6/10 : I went into it expecting to be blown away but it was just kind of a middling biopic with 2 great performances. Nothing really stood out and the characters really didn't evolve much. One of the more disappointing movies of the year for me, based on all the buzz it had.
Aquaman - 6/10
Ben Is Back - 6/10
Flower - 6/10
Paddington 2 - 6/10 : Mods pls don't ban for the low score. It was fine, the hype is a bit overstated to me though. Cute/10
Den Of Thieves - 6/10
The Front Runner - 6/10
Back To Burgundy - 6/10 : If you've always wanted to know the inner-workings of France's wine-industry mixed with intense family-drama, this is the movie for you.
Bad Times at the El Royale - 6/10
Tomb Raider - 6/10
The Mule - 6/10: Clint Eastwood Scowls & Growls: The Movie
7 Days In Entebbe - 6/10
1945 - 6/10
Anna & the Apocalypse - 6/10 : I'm not usually a fan of musicals but this was decent. The songs are catchy and the characters are likeable. The practical effects were convincing and still was a well-made, bright, zombie movie.
Alpha - 6/10
On Chesil Beach - 6/10
Film Stars Don't Die In Liverpool - 6/10
Pacific Rim: Uprising - 6/10
The Third Murder - 6/10 : Needlessly convoluted. Way too many twists & turns. The plot gets very sloppy. It went from 'solid legal thriller' to 'messy & unfocused' really quickly. Again, a movie that needed to be a lot shorter. Surprisingly weak for Hirokazu Kore-eda.
The Seagull - 6/10
Blockers - 6/10
Christopher Robin - 6/10
Bombshell: The Hedy Lamarr Story - 6/10
Ant-Man & The Wasp - 5/10
Sorry To Bother You - 5/10
At Eternity's Gate - 5/10 : Willem Dafoe was awesome in this but it doesn't have much else going for it. It was way too artsy for it's own good. Felt like an off-brand Terrence Malick film. This feels too mean, but I actually liked the trailer a lot more than the movie itself.
Oh Lucy! - 5/10
Beirut - 5/10
Hotel Artemis - 5/10
Mortal Engines - 5/10 : The special effects in this were actually really good but it's brought down by a very predictable, by-the-numbers, generic story. Really hammy & distracting performance by Hugo Weaving. The dialogue is laughably bad and the stars are forgettable.
Maze Runner: The Death Cure - 5/10
Rampage - 5/10
Death Wish - 5/10
The Equalizer 2 - 5/10
The Meg - 5/10 : You get what you pay for. Jason Statham fights a shark, cheesy one-liners and cliche characters follow. It's an okay movie if you don't care too much and don't ask any questions. The definition of a Redbox movie, really.
Operation Finale - 5/10
Jurassic World: Fallen Kingdom - 4/10
Final Portrait - 4/10
Sicario 2 - 4/10
Don't Worry He Won't Get Far On Foot - 4/10 : This was a sloppy mess. Really low-tier Van Sant. The only redeeming factor was Jonah Hill. Probably the most underrated performance of the year, absolutely awards worthy. Comparable to Claire Foy in First Man. It didn't get any recognition because the rest of the movie sucked and Amazon sucks at releasing/promoting movies. Disappointing.
The Girl in Spider's Web - 4/10
Bohemian Rhapsody - 4/10
The Little Stranger - 4/10 : This is a great movie if you want to take a nap. Absolute snooze-fest, slow, gothic-lite, non-thriller. The highlight was being completely alone at a 7:00 PM opening night showing at my local theater's biggest room (200+ seats). That's always fun. The redeeming factors are the set designs & Ruth Wilson.
Annihilation - 3/10
Mary & The Witch's Flower - 3/10
The Party - 3/10
Early Man - 3/10
12 Strong - 3/10 : I was honestly expecting something better based on the cast alone but this is really just a glorified Army recruitment ad. Really felt heavy-handed and unrealistic. Pointless movie.
Skyscraper - 3/10
The Commuter - 3/10
Leisure Seeker - 3/10
Gringo - 3/10
Arizona - 3/10 : Five years too late. Godawful script and the violence is really off-putting for some reason. I don't usually mind gratuitous violence, but this was awkward/unnecessary.
Gemini - 3/10
Submission - 3/10
L'Amant Double - 3/10
Humor Me - 3/10
Bye Bye Germany - 3/10
Uncle Drew - 3/10 : Who knew that an entire feature-length film based on a bad commercial would result in a sub-par, uninspired, sell-out product?
The Catcher Was A Spy - 2/10
Venom - 2/10
Winchester - 2/10
Boundaries - 2/10
Mile 22 - 2/10
Fantastic Beasts: Crimes of Grindelwald - 2/10: It looked good I guess? The only real positive. It spends way too much time on characters we don't care about, love triangles that are irrelevant to the main arc, and pointless storylines. Feels like we start at Point A, and 2+ hours later we are still at Point A. Nothing really happens, whole movie feels like lame sequelbait. This franchise took a real bad turn, tough to see how it can recover.
Nostalgia - 2/10
Ocean's 8 - 2/10 : Winner of 2018's "Most Unnecessary Sequel' Award. It was in a very close race with Sicario 2.
A Wrinkle In Time - 2/10
The Predator - 1/10 : The best description for this movie: Gross & awkward. All the jokes feel dated and overcooked. Feels like 20 people contributed to the script. The character are all super unlikeable and everything reeks of studio interference. Shane Black can do a lot better than this. Really disappointing follow-up to The Nice Guys.
Happy End - 1/10
Let The Sunshine In - 1/10
15:17 To Paris - 0/10
Proud Mary - 0/10 : Undisputed worst film of the year for me. This was really amateur film making. Shit script, shit direction, horrendous acting. They straight up re-used some shots several times. Action scenes feel like a John Wick movie made by a freshman college student on a $1000 budget, and that college student also happened to be blind. I regret spending $11.00 on this so much. I don't know what I was thinking.
The Misandrists - N/A - Walked out after ~10 minutes. No Score.
The Ballad Of Lefty Brown - N/A - Walked out after ~30 minutes. No Score.
Notable movies that I haven't seen yet but will see in the next few weeks:
  • 22 July
  • Burning
  • Border
  • Capernaum
  • Cargo
  • Cold War
  • Destroyer
  • Hale County: This Morning, This Evening
  • The House That Jack Built
  • If Beale Street Could Talk
  • Mary Poppins Returns
  • Minding the Gap
  • On The Basis of Sex
  • The Other Side of the Wind
  • Stan & Ollie
Movies that I saw outside of theaters, not included in the list:
  • Roma - 9/10
  • Private Life - 9/10
  • The Night Comes For Us - 8/10
  • The Ballad of Buster Scruggs - 7/10
  • Kindergarten Teacher - 7/10
  • Outlaw King - 6/10
  • Apostle - 6/10
  • Bird Box - 4/10
  • Hold The Dark - 3/10
Movies that I saw in theaters in 2018, but are not included in the list due to original release date:
  • Phantom Thread - 9/10
  • Hostiles - 9/10
  • I, Tonya - 8/10
  • Molly's Game - 8/10
  • The Post - 6/10
So that's that, no complaints about this year, solid all-around. Looking forward to 2019. My wallet is not.
submitted by BunyipPouch to movies [link] [comments]


2018.02.19 13:45 Amiral_Poitou [Lundi Playlist] Des pâtes et des hommes : musique italienne

Lundi Playlist

Je propose qu'on se fasse une playlist par semaine, chaque lundi. J'agrège tout au gré des propositions et je vous sors la playlist de la semaine sur le FL le mardi matin.
Partants ?
Cette semaine c'est

Des pâtes et des hommes : Musique d'Italie 🇮🇹

De l'autre côté des Âlpes, des hommes nous ressemblent beaucoup. Bruyants, gesticulant, amateurs de nourriture, de vin (il paraît) et pilier de la Renaissance, nos cousins italiens ont tout pour nous plaire sauf une chose : une production musicale reconnue. Depuis Puccini et malgré quelques ballades siciliennes, le XXe siècle s'est composé sans l'Italie, hormis Sergio Morricone. Mais ils ont pourtant une culture débordante et plein de bonnes idées. L'Italie au delà du cliché : ce sera la playlist de la semaine !

Retrouvez les playlists précédentes sur /Lundiplaylist !

La playlist actuelle :

Playlist YOUTUBE

[Playlist SPOTIFY]

  • Alan Sorrenti - Figli delle Stelle (1977 - Pop Funk) "Je refuse de commencer sans parler de ce morceau qui est parfait pour débouler sur les routes du sud, cheveux au vent dans ta punto décapotable. Trouvé en écoutant les samples de Fuzati ! Ecoutez moi ce petit riff, ce demi-funk, cette voix kitsch, ces paroles mièvres, ah je craque - amiral_poitou"
  • Mr. Flagio - Take a Chance (1983 - Italo disco) "L'Italo-disco, un genre méconnu de nos contrées. Si Eiffel 65 se taille la part du lion, cette part funky de l'électro est un incontournable de tous les dance-floors. Du groove et des Vespa. - amiral_Poitou"
  • CCCP - Curami (1984 - Punk) "Peu nombreux sont ceux qui se souviennent que les Italiens avaient une grosse scène Punk/grunge, Rome a connu de grosse vagues de popularité de l'anarchisme. Parmi les groupes qui sortent de ce moulon est CCCP, un classique - amiral_poitou "
  • Rhapsody - Guardiani del Destino (2004 - Metal ?) "Comme je suis l'un des chevelus du sousjailu, je propose un petit morceau de Rhapsody. Luca Turilli fait aussi des trucs dans son coin quand il ne compose pas avec Rhapsody. - Fifix1990"
  • Pino D'Angio - Ma Quale Idea (1981 - Rupture d'anévrisme) "Mélange de rap/funk/disco selon wikipedia, en tous cas ça me rappelle furieusement "chacun fait c'qui lui plait", sorti la même année pourtant. L'air du temps faut croire - JeanGuy17"
  • Bloody Beetroots - Warp 7.7 "Si Birdy Nam Nam représente la french touch de l'electro de la fin des années 2000, les Bloody Beetroots représente vraiment la touche italienne, ça tape, ça grésille et ça crie. - Facethetruthbiatch"
  • Elvenking - Jigsaw Puzzle "Un des rares groups de folk métal qui ne vient pas de Scandinavie, des grosses guitares, un violon qui se bat contre elles et une ambiance féerique toute particulière. - Facethetruthbiatch"
  • Fabrizio de André - Bocca di Rosa (1967 - Italie) (Chanson) "Légendaire chanteur folk, très inspiré par George Brassens. - diyod "
  • Premiata Forneria Marconi - Impressioni di settembre (1972 - Italie) (Rock Progressif) "Impossible de faire une playlist sur la musique italienne sans citer sa scène de rock progressif des années 70, l'une des plus actives après la scène anglaise. PFM en est le groupe phare. - diyod "
  • Franco Battiato - Bandiera Bianca (1981 - Italie) (Synthpop) "Le maître de la pop italienne. - diyod "
  • Drupi - Vento di maggio "le classique du chanteur à minette italien , ici c'est les années 80 pour une chanson qui a réussi à être la bande orginale de pas un, mais de deux, nanars français de cette peu regardante décennie -les deux crocodiles- et -que les gros salaires lèvent le doigt-"
  • Adriano Celentano - Svalutation "le Johnny Halliday transalpin, c'est par ce peu glorieux qualificatif , qu'adriano Celentano est qualifié par les français du bon coté des alpes . Vu que j'ai pas mieux j'utiliserai la même qualification qui ne s'explique ici que pour la longévité du dit celentano - ps : c'est la mieux de mes 4 propositions "
  • Fred Buscaglione - Che Notte (1955) "Chanteur des années 1950, Fred Buscaglione c'est un pendant italien à notre bande de Saint-Germain, suivi de son petit jazz band, racontant ses histoires d'italien. Incontournable - amiral_Poitou"
  • Gianmaria Testa - Le traiettorie delle mongolfiere (1995 - Chanson) "En 1995, on s'entichait de la voix chaude et éraillée d'un piémontais, le chef de gare et chanteur Gianmaria Testa qui invitait à observer l'humanité du haut de sa montgolfière pour ne voir que les choses qui nous unissent. Très attaché à sa terre comme au sort des migrants, il travaillait à l’occasion avec son ami l’écrivain Erri de Luca. Une sorte de Cabrel transalpin. Son décès a endeuillé le pays. -amiral_poitou"
  • Raphael Gualazzi - * Follia d'amore* (2012 - Jazz) "Succès récent du jazz à l'italienne, le crooner romain ne s'entiche d'aucun artifice et accompagne ses mélodies d'une très belle maîtrise vocale. On en redemande ! - amiral_poitou "
  • 24 grana - Loop "Groupe napolitain qui n'existe plus maintenant, électro-rock un peu reggae. - drakoulious"
  • Dente - Baby making "Chanson à texte mignonne, doucement triste. - drakoulious"
  • Pino Daniele - Je so' pazzo "Un maitre napolitain classique mais pas gnangnan comme beaucoup d'artistes du coin. - drakoulious"
  • Ennio Morricone - Gabriel's oboe "I feel obliged to start with this purely instrumental song. If for some unknown reason I end up in paradise and this song it's not on 24h/day I'll sue the hell out of the catholic church - axel_evans."
  • Mina - Io vivrò senza te (1972) "An astonish performance from Mina, her voice turns supernatural a couple times during the song. Probably my favourite live performance from any italian musician. - axel_evans"
  • Negazione - Lo Spirito Continua One of the most important album in Italian Hardcore Punk History.
  • Elio e Le Storie Tese - La Terra dei Cachi This fantastic song (both musically and lirically) is famous because it was actually robbed from the first place at Sanremo 1996, which was rigged.
  • Quintorigo - La Nonna di Frederik lo portava al mare Another song from the '90, this is a very peculiar band. And, if you like Patton style vocals, you must check them out.
  • Kaos One - La Zona Morta This is one for the lovers of Hip Hop, with the "don" of italian hardcore rap.
  • Laura Pausini - La solitudine "One of her first and most famous songs, I think everyone knows it. Especially all the people called "Marco", the boyfriend addressed at the beginning of the song"
  • Cesare Cremonini - Poetica "One of his latest songs that became famous very quickly, I really like it"
  • Arisa - Controvento great voice, she won Sanremo at least two times and this song is one of those she won with Malika Ayane - Adesso e qui (nostalgico presente) another singer with a great voice, she was highly favored to win Sanremo with this song but that year some rigging happened and she didn't (it was the year when prince Emanuele Filiberto di Savoia participated). She became famous with the song Come foglie.
  • Marco Mengoni - Come due satelliti "one of the most popular singers, he won X factor some years ago and has only risen since"
  • Tiziano Ferro - Ed ero contentissimo "How could I forget about him, he's like the king of pop music currently. Everyone knows his songs and can sing them. It's 100% impossible not to sing along whenever this song comes on radio, it's a reflex everyone has. Other famous songs of his are Ti scatterò una foto, Non me lo so spiegare and Sere nere."
  • Giorgia - Gocce di memoria "Again, a really famous song"
  • Negramaro - Parlami d'amore "famous band, one of the members is also a famous songwriter"
  • Francesco De Gregori - La Donna Cannone (2014) "Recent remake of De Gregori's classic in a more poetic form, I really dig the video and his new old men style."
  • Fabrizio de André - Dolcenera (2004) "A song about the great flood of Genova of 1970, intertwined with a love story about a cheating wife that obviously dies in the flood (as always with de André: love, happiness, life; you can pick two)"
  • Jovanotti - Bella (1997) "You have a bad day? Well, not anymore. This song simply radiates positive energy, there's something primordial about it."
  • Jovanotti - Come musica (2008) "Ok I'm guilty of liking Jovanotti. But if a song makes me develop feelings about excavators, I feel compelled to post it."
  • Andrea Bocelli feat. Elisa - La voce del silenzio (2007) "Spectacular location (teatro del silenzio), two of the finest italian voices singing an old Mina's song. One of my favourite's performance."
  • Angelo Branduardi - Fou de Love (1994) "une chanson d'amour chantée dans toutes les langues mixtes"
  • Angelo Branduardi - Vita quotidiana di uno spettro (1998) "un fantôme chante sa solitude en regardant son bien-aimé"
  • Offlaga Disco Pax - Cioccolato I.A.C.P (2008 - New Wave) « Histoires parlées poétiques sur une instru' minimaliste qui te font rentrer dans un petit cocon atmosphérique. » thinkingnoodle
  • Frankie HI-NRG MC - Quelli Che Benpensano (1997 - Rap) « Un des piliers du rap italien des années 90. Entrainant, engagé, écoutable par ta grand mère : une sorte de MC Solaar italien ? » thinkingnoodle
  • Frank Siciliano - Notte Blu (2004 - Rap) « Un rap italien des années 2000 qui rappel un certain rap français des années 90. Une recette classique bien exécutée. » thinkingnoodle
  • Fast Animals And Slow Kids - A cosa ci serve "Recent indie/alt/pop/rock/whatever that I like."
  • Area - La Mela di Odessa "Probably the best prog/jazz rock band Italy has ever seen."
  • Eugenio Finardi - Extraterrestre "Singesongwriter."
  • Bluvertigo - L'Assenzio "Alt rock/synthpop. This band was amazing but I guess too much drug ruined everything!"
  • Novembre - Geppetto "The closest thing we have to Opeth. Just in spirit though (mixing death metal with clean vocals and melodic parts)... They sound very different."
  • New Trolls - Le Roi Soleil "Really good prog band from the 70's. What you get when you mix prog rock and classical music. This track is their Bohemian Rhapsody (kinda... Came out before BR btw)."
  • Max Gazzè - La vita com'è. "Excellent bassiste, pas très connu hors Italie, je trouve sa musique très rafraîchissante. Cette chanson nous amène dans le Sud avec quelques accents de ska."
  • Caparezza - Ti fa stare bene "Après Gazzè, son double Caparezza. Il est probablement notre meilleur rappeur. Celui-ci est son dernier single."
  • Giusy Ferreri - Novembre. "J'aime bien la voix de Giusy Ferreri, elle s'inspirait un peu d'Amy Winehouse, même si son style est un peu changé maintenant."
  • Prozac+ - Acida "Punk rock. Cette chanson a été un gros hit à la fin des années '90. Malheureusement le groupe s'est dissolu en 2006."
  • Takagi e Ketra feat. Arissa and Lorenzo Fragola - L'esercito del selfie "ça a été très populaire l'année dernière. Style rétro-pop, clin d’œil aux hits des années '70."
  • Andrea Bocelli - Con Te Partirò (1995) What can we say about this? He's an icon, this song is iconic, everything about this is iconic.
  • Lùnapop - Qualcosa di Grande (1999) With only one album in their discography, this band was extremely successful during their short career. When its lead singer, Cesare Cremonini, left the band, he started a solo career and he's now a household name in the Italian music market. This song is regarded as one of their best songs.
  • Elisa - Luce (tramonti a nord est) (2001) With this song she won the Festival of Sanremo and it became one of the best-selling tracks that year. After many years now it's basically a modern classic.
  • Daniele Silvestri - Salirò (2002) Despite finishing 14th at the Festival of Sanremo this song became a big hit and it reached the top 10 on the Italian chart. It even won the award for best song at the Italian Music Awards.
  • Luca Dirisio - Calma e Sangue Freddo (2004) This song was everywhere in 2004. He's basically a one-hit wonder but this song's hook still lives on.
  • Giusy Ferreri - Non Ti Scordar Mai Di Me (2008) She participated in the first edition of the X Factor Italy and she finished second but after many years she's still the most successful contestant of the show. This song wasn't a hit only in Italy but in other European countries too.
  • Francesca Michielin - Distratto (2012) Some of you might know her as the Italian entry at the Eurovision Song Contest in 2016. She won the X Factor Italy when she was 16 years old and now, she's one of the most popular Italian singers. This song topped the Italian chart and was commercially successful.
  • Baby K ft. Giusy Ferreri - Roma-Bangkok (2015) This song was huge: it stayed at the top of the Italian chart for 11 consecutive weeks; its music video was the first by an Italian artist to reach 100 million views, it charted in other European countries, and it got certified 9x platinum. Now it's an universally known party song and you can't just stay quiet, if it's playing, you have to sing along.
  • Coez - La Musica Non C'è (2017) This love song has the potential to become a classic in the next years. With a sweet instrumental and soft electronic elements, the listener is hit by a nostalgic vibe and the desire to hug a friend and sing these lyrics out loud while drunk. It's so beautiful it hurts.
  • Dario Deidda (feat. Stephane Huchard & Julian Oliver M.) - 3 From The Ghetto (2006, Italie) (Jazz) "Un bassiste italien, un album vraiment très très bon, avec un peu de tout. Ce morceau sonne un peu raggae, avec une ligne de basse stratosphérique et un super solo de piano! - u/lhrivsax"
  • Nomadi - Un pugno di sabbia Nomadi is an iconic band, mostly famous for their songs from the '60 and '70, and their, well... melanchonic lyrics. They're like the Italian version of Eagles.
  • Mia Martini - Minuetto One of the ladies of Italian music. The song is not actually hers, but her voice is great, and I love the rhythmic progression in this song.
  • Lucio Dalla - Nuvolari There already was a song by him, but I wanted to add a second one, because he's a great artist, and also because his mixture of poetry, pop, jazzy, funky, and aggressive lyrics is a rare instance of genius. This song is about an Italian great race car driver from the '20/'50, it is worth checking out the lyrics too.
  • Pacifico - Boxe a Milano Enough with the old songs, this one is recent! (well, less than 10 years old!) Pop with a hint of reggae, a very mellow song about the Boxe scene in Milan in the '50 (ok, about an old topic, but still...) probably the most "pop" song in my list, but well, you asked about popular songs...
  • Marlene Kuntz - Nuotando nell'aria Marlene Kuntz is a grunge/noise/psychedelic rock band, you might have heard of them with their song with Skin (the one from Skunk Anansie), but I like this one more.
  • Vasco Rossi - Generale (2002 - Italie) (Chanson/Rock)
    "Si Johnny avait su composer des chansons, ça aurait pu donner Vasco Rossi. Remplissage de stades, records de ventes. Il reprend ici "Generale "de De Gregori, une superbe chanson sur la guerre"
  • Caparezza - Vieni A Ballare In Puglia (2008 - Italie) (Hip-Hop Alternatif)
    "Même s'il rap, c'est un des plus étonnant compositeur de "Hip-Hop" que je connaisse. Pop, Rock, Trad, je crois qu'il a dû mélanger tous les genres possibles. Ses textes sont souvent un peu acides et ses clips sont en plus toujours plutôt réussi."
  • Articolo 31 - L'italiano Medio (2004 - Italie) (Funk/Rock)
    "Il fallait bien résumer l'italien moyen dans cette playlist. C'est chose faite. A la base groupe de Hip-Hop, Articolo 31 a ensuite mélangé le Funk, le Rock et le Hip-Hop."
  • Nino Rotta - 8½ (1963 - Italie) (Musique de film)
    "Sûrement un des plus grand compositeur de musique de film. le Guepard, le Parrain, et les films de Fellini et bien d'autres."
  • Talco - Danza dell'Autunno Rosa (2012 - Ska-Punk) "Ska-punk italien festif et engagé. À écouter le matin pour se réveiller."
  • Management del dolore post operatorio - Pornobisogno - Hard Pop "An ironic take on sexuality, sexual illness and the modern political italian situation."
  • Zen Circus - Ilenia Folk Punk Rock "Life as seen from the eyes of a young Italian rebel girl."
  • Il Teatro degli Orrori -A sangue freddo Noise Rock "An ode to Ken Saro-Wiwa"
  • Fast Animals and Slow Kids - Annabelle Modern Rock "A melancholic and extreme take on love with a girl met on a concert."
  • Pinguini Tattici Nucleari - Irene Pop Rock "An ironic and well written take on a school love, growing up and other life issues and expectations."
BONUS :

BONUS - La playlist personnelle de Marcelo_d

Prog-Rock
Jazz
Experimental/Classic/postmodern

J'ai besoin de votre aide pour tout mettre en forme.

Veuillez respecter le format et si possible accompagnez votre proposition d'une petite explication :D
(je rajouterai les pseudos en rentrant chez moi désolé en attendant :"'( )
Vous avez le droit de donner votre avis sur l'ajout ou le retrait d'un morceau, auquel cas veuillez commenter sous sa proposition :)
Bonne playlist à toutes et tous !
submitted by Amiral_Poitou to france [link] [comments]


2018.01.29 09:03 therealolds Film in uscita questa settimana - 5/2018

Buongiorno italyTV! Come ogni lunedì, ecco i film in uscita questa settimana.
GRACE JONES: BLOODLIGHT AND BAMI
Grace Jones: Bloodlight and Bami è un film di genere documentario del 2017, diretto da Sophie Fiennes, con Grace Jones. Uscita al cinema il 30 gennaio 2018. Distribuito da Officine UBU.
DATA USCITA: 30 gennaio 2018
GENERE: Documentario
ANNO: 2017
REGIA: Sophie Fiennes
ATTORI: Grace Jones
PAESE: Irlanda, Gran Bretagna
DISTRIBUZIONE: Officine UBU
TRAMA*: Grace Jones: Bloodlight and Bami è un viaggio elettrizzante attraverso la carriera pubblica e la vita privata dell'icona della musica e della cultura pop Grace Jones. L'audace estetica di Jones emerge nell’intera pellicola grazie al sapiente lavoro della regista Sophie Fiennes, capace di creare un'esperienza cinematografica di grande potenza, accostando a contrasto sequenze musicali, riprese più intime e materiale personale per ritrarre la persona che si nasconde dietro la maschera indossata dall'artista sul palco.
C'EST LA VIE - PRENDILA COME VIENE (LE SENS DE LA FÊTE)
C'est la vie - Prendila come viene è un film di genere commedia del 2017, diretto da Olivier Nakache, Eric Toledano, con Jean-Pierre Bacri e Gilles Lellouche. Uscita al cinema il 01 febbraio 2018. Durata 115 minuti. Distribuito da Videa.
DATA USCITA: 01 febbraio 2018
GENERE: Commedia
ANNO: 2017
REGIA: Olivier Nakache, Eric Toledano
ATTORI: Jean-Pierre Bacri, Gilles Lellouche, Jean-Paul Rouve, Vincent Macaigne, Suzanne Clément, Hélène Vincent, Benjamin Lavernhe, Eye Haidara
PAESE: Francia
DURATA: 115 Min
DISTRIBUZIONE: Videa
TRAMA: Tra catastrofiche gaffes e imprevedibili eventi, una scombinata impresa di catering tenta di regalare una giornata indimenticabile a una coppia di giovani sposi. Nulla è più importante per Pierre (Benjamin Lavernhe) ed Héléna del giorno del proprio matrimonio! Tutto deve essere magico, bellissimo, impeccabile, a partire dallo sfarzoso ricevimento nel giardino di un magnifico castello poco fuori Parigi, affittato per l'occasione. Presto però, il matrimonio "sobrio ed elegante" che la coppia desidera sfugge al controllo dell'inflessibile Max (Jean-Pierre Bacri), navigato wedding planner, incapace questa volta di tenere a freno i vizi e le eccentricità dell'indisciplinata brigata. Nonostante i rimproveri e gli avvertimenti, lo scoraggiato responsabile del catering non impedisce al fotografo Guy (Jean-Paul Rouve) di chiamare "befana" la mamma dello sposo, né trattiene l'animatore James (Gilles Lellouche) dal roteare il tovagliolo davanti al naso dei testimoni. Può soltanto tapparsi le orecchie in presenza del malinconico valletto Julien (Vincent Macaigne), o dell'irascibile assistente Adèle (Eye Haidara). E non può niente nemmeno contro le pretese dell'impaziente amante Josiane (Suzanne Clément). Ma è solo quando arriva il cameriere improvvisato Samy, che la commedia degli equivoci diventa una commedia degli equivoci culinari, dove "rombo" o "flute" sono figure geometriche e strumenti musicali, oltre che indiscussi protagonisti della tavola imbandita. Il film segue i preparativi della festa, attraverso gli occhi dei suoi impotenti organizzatori, i quali, alla fine di una lunga giornata ricca di soprese e colpi di scena non potranno che farsi una bella risata ed esclamare "C'est la vie".
L'INCANTESIMO DEL DRAGO (THE DRAGON SPELL)
L'incantesimo del drago è un film di genere animazione del 2016, diretto da Depoyan Manuk. Uscita al cinema il 01 febbraio 2018. Durata 85 minuti. Distribuito da Twelve Entertainment.
DATA USCITA: 01 febbraio 2018
GENERE: Animazione
ANNO: 2016
REGIA: Depoyan Manuk
PAESE: Ucraina
DURATA: 85 Min
DISTRIBUZIONE: Twelve Entertainment
TRAMA: Nel film le vicende si svolgono su un doppio binario: quello del mondo degli umani, e quello del mondo della magia, dove Nicky e i suoi amici, lo scapestrato Rocky e il pipistrello aspirante mago Eddie, vengono catapultati attraverso un portale spazio-temporale. Sarà qui, in mezzo a creature bizzarre, atmosfere fatate e fughe spettacolari, e fronteggiando orripilanti mostri, che i tre dovranno cercare un fiore magico e misterioso i cui poteri potranno salvare entrambi i mondi. Un'avventura tutta da vivere e che non potrà non appassionare i bambini di tutte le età.
MAZE RUNNER: LA RIVELAZIONE (THE MAZE RUNNER: THE DEATH CURE)
Maze Runner: La Rivelazione è un film di genere azione, thriller, fantascienza del 2018, diretto da Wes Ball, con Dylan O'Brien e Kaya Scodelario. Uscita al cinema il 01 febbraio 2018. Durata 142 minuti. Distribuito da 20th Century Fox.
DATA USCITA: 01 febbraio 2018
GENERE: Azione, Thriller, Fantascienza
ANNO: 2018
REGIA: Wes Ball
ATTORI: Dylan O'Brien, Kaya Scodelario, Thomas Sangster, Rosa Salazar, Dexter Darden, Walton Goggins, Katherine McNamara, Aidan Gillen, Paul Lazenby, Nathalie Emmanuel, Will Poulter, Patricia Clarkson, Giancarlo Esposito, Barry Pepper, Jacob Lofland
PAESE: USA
DURATA: 142 Min
DISTRIBUZIONE: 20th Century Fox
TRAMA: Nel terzo capitolo dell'avvincente saga distopica per ragazzi basata sui romanzi di James Dashner, Maze Runner: La rivelazione, vediamo Thomas (Dylan O'Brien) e i Radurai unire le forze con i ribelli del "Braccio Destro" per salvare l'amico Minho, rapito durante lo scontro a fuoco dalle truppe del W.C.K.D. Il giovane Velocista, a capo del gruppo di adolescenti sopravvissuti alla prigionia della Radura e alla disperata fuga nel deserto, è determinato a trovare una cura contro il virus mortale che si è abbattuto sul pianeta. La ricerca, irta di sfide e ostacoli insormontabili quasi quanto le pareti del Labirinto, metterà a dura prova l'amicizia e i legami creati tra i ragazzi. Soprattutto quello tra il giovane protagonista e l'enigmatica Teresa (Kaya Scodelario). L'uscita del film, ritardata dall'incidente sul set che ha interessato l'attore Dylan O'Brien, è prevista in Italia per il 1 febbraio 2018.
SLUMBER - IL DEMONE DEL SONNO (SLUMBER)
Slumber - Il Demone del sonno è un film di genere horror del 2017, diretto da Jonathan Hopkins, con Maggie Q e Sylvester McCoy. Uscita al cinema il 01 febbraio 2018. Durata 84 minuti. Distribuito da Koch Media.
DATA USCITA: 01 febbraio 2018
GENERE: Horror
ANNO: 2017
REGIA: Jonathan Hopkins
ATTORI: Maggie Q, Sylvester McCoy, Will Kemp, Sam Troughton, William Hope
PAESE: Gran Bretagna, USA
DURATA: 84 Min
DISTRIBUZIONE: Koch Media
TRAMA: Una creatura affamata tenta di agguantare un bambino intrappolato nel mondo dei sogni, ma una tenace dottoressa fa di tutto per impedirglielo. Protagonista di Slumber - Il Demone del sonno è Alice (Maggie Q), una specialista dei disturbi del sonno, che durante le sedute scorta i pazienti lungo un percorso di recupero e guarigione, mentre a casa deve fare i conti in prima persona con gli effetti di un misterioso trauma infantile: i suoi sogni sono infestati di spettri, e il ricordo della morte del fratello minore perseguita le sue notti. Un giorno, nel suo studio si presenta un'intera famiglia bisognosa di cure, i cui componenti sono afflitti da strani disturbi durante la notte e uno dei bambini in particolare, soffre della cosiddetta "paralisi del sonno". Alice ne è certa, non può sbagliare. Si tratta di un disturbo reale e comune in tutto il mondo che rende i sogni di chi ne è affetto incredibilmente serrati e realistici, e i momenti di veglia oscuri e nebbiosi come un incubo ad occhi aperti. Durante il sonno ci si ritrova all'improvviso svegli e coscienti, ma paralizzati, bloccati nel flusso di immagini irreali, e con la sensazione di una minacciosa presenza estranea che incombe o che, addirittura, cerca di fare del male. Nel tentativo di aiutare questa famiglia in pericolo, la razionale Alice è costretta a mettere da parte la logica e il ragionamento scientifico su cui ha sempre fatto affidamento, e accettare la natura sovrannaturale e demoniaca dietro agli incubi dei suoi pazienti. La battaglia contro il demone, sarà anche l'occasione per affrontare i temuti fantasmi del suo passato.
SONO TORNATO
Sono tornato è un film di genere commedia del 2018, diretto da Luca Miniero, con Massimo Popolizio e Frank Matano. Uscita al cinema il 01 febbraio 2018. Durata 100 minuti. Distribuito da Vision Distribution.
DATA USCITA: 01 febbraio 2018
GENERE: Commedia
ANNO: 2018
REGIA: Luca Miniero
ATTORI: Massimo Popolizio, Frank Matano, Stefania Rocca, Gioele Dix, Eleonora Belcamino, Ariella Reggio, Massimo De Lorenzo, Giancarlo Ratti, Guglielmo Favilla, Luca Avagliano, Daniela Airoldi
PAESE: Italia
DURATA: 100 Min
DISTRIBUZIONE: Vision Distribution
TRAMA: Sulla scorta del divertente Lui è tornato, film tedesco che immagina Hitler a spasso per la Berlino dei giorni nostri, l'italiano Sono tornato, diretto da Luca Miniero, vede uno smarrito Benito Mussolini (Massimo Popolizio) riapparire in piazza Vittorio, nella Roma dei giorni nostri, con la divisa sporca e il volto tumefatto. La guerra è finita, la sua Claretta non c'è più e tutto sembra cambiato. All'apparenza. Il duce non apprezza lo scenario multiculturale della piazza gremita, né comprende l'attaccamento morboso all'arnese "telefonino". Assorbiti dagli schermi e persuasi che si tratti dell'ennesima attrazione per turisti, i passanti continuano a ignorarlo finché, Andrea Canaletti (Frank Matano), un giovane documentarista con grandi aspirazioni ma pochi, pochissimi successi, guidato da necessità e fiuto di giornalista, credendolo un attore comico, non gli propone di diventare protagonista di documentario. Per l'affabulatore Mussolini è l'occasione di riconquistare le masse. Tra i due comincia così una surreale convivenza: in giro per l'Italia, tra ospitate in tv e incontri con gli italiani dei giorni nostri, porta Mussolini a farsi conoscere e riconoscere sempre di più, fino a diventare addirittura protagonista di un show televisivo. Il Duce si convincerà di poter riconquistare il paese. Un divertente esperimento storico in forma di comedy: i tempi sono cambiati, il "popolo" italiano non tanto.
THE POST
The Post è un film di genere drammatico, thriller del 2017, diretto da Steven Spielberg, con Tom Hanks e Meryl Streep. Uscita al cinema il 01 febbraio 2018. Durata 118 minuti. Distribuito da 01 Distribution.
DATA USCITA: 01 febbraio 2018
GENERE: Drammatico, Thriller
ANNO: 2017
REGIA: Steven Spielberg
ATTORI: Tom Hanks, Meryl Streep, Sarah Paulson, Bob Odenkirk, Tracy Letts, Bradley Whitford, Bruce Greenwood, Matthew Rhys, Alison Brie, Carrie Coon, David Cross, Jesse Plemons, Michael Stuhlbarg, Zach Woods
PAESE: USA
DURATA: 118 Min
DISTRIBUZIONE: 01 Distribution
TRAMA: Diretto da Steven Spielberg, il thriller politico The Post racconta la storia dietro alla pubblicazione dei "Quaderni del Pentagono", avvenuta agli inizi degli anni settanta sul Washington Post. L'occultamento dei documenti top secret sulle strategie e i rapporti del governo degli Stati Uniti con il Vietnam tra gli anni quaranta e sessanta innesca una battaglia senza precedenti in nome della trasparenza e della libertà di stampa. In particolare, la pubblicazione dei cosiddetti Pentagon Papers diviene manifesto della ferma e decisa rivendicazione del diritto di cronaca e della libertà di informazione da parte di due figure molte diverse ma accomunate dal coraggio e da una forte etica professionale: l'editrice del giornale Kay Graham (Meryl Streep), prima donna alla guida della prestigiosa testata, e il duro e testardo direttore del giornale Ben Bradlee (Tom Hanks). I due metteranno a rischio la loro carriera e la loro stessa libertà nell'intento di portare pubblicamente alla luce ciò che quattro Presidenti hanno nascosto e insabbiato per anni. Nonostante i meschini tentativi del governo di contenere la fuga di informazioni riservate, i media diffondono la notizia schierandosi dalla parte dei cittadini. The Post è il quinto film di Steven Spielberg che veda tra i protagonisti Tom Hanks, che diventa così l'attore che ha lavorato più volte con Steven in ruoli differenti, dopo Salvate il soldato Ryan, Prova a prendermi, The Terminal e Il ponte delle spie. C'è un altro primato: Meryl Streep invece non aveva incredibilmente mai recitato in un film dell'autore, se non come voce di Blue Mecha nella versione originale di A. I.. Le musiche di The Post sono a cura di John Williams, che per limiti d'età non cura più ogni colonna sonora spielberghiana (il contemporaneo Ready Player One è stato infatti affidato alle cure musicali di Alan Silvestri). Un lento passaggio di consegne sta avvenendo anche in sede di montaggio, dove il fedelissimo Michael Kahn per la prima volta qui accredita al suo fianco Sarah Broshar, sua assistente da oltre dieci anni, per la precisione da 10 cose di noi del 2006. Mai messa in discussione invece la presenza ormai ultraventennale di Janusz Kaminski alla direzione della fotografia, l'unico della squadra Spielberg storica a essere più giovane dell'autore (classe 1959 contro classe 1946). The Post rappresenta il debutto della sceneggiatrice Liz Hannah, classe 1985: il suo copione era stata inserito nell'ufficiosa Black List hollywoodiana delle migliori sceneggiature non prodotte, finché Spielberg non l'ha raccolto. Josh Singer, premio Oscar per Il caso Spotlight, è stato comunque chiamato a integrare il lavoro di Liz.
submitted by therealolds to italyTV [link] [comments]


2017.12.30 10:12 Nekissuz Que ano para o Brasil nos e-Sports!

Está cada vez mais evidente que no mundo inteiro o e-Sport é uma coisa muito grande. Não dá para negar isso. Algumas emissoras de esportes Brasileiros já se movimentaram para esta modalidade, vide Esporte Interativo (Street Fighter V, Counter-Strike Global Offensive) e SporTV (Dota 2, League of Legends, Counter-Strike Global Offensive). Sem contar alguns de seus programas dedicados a este assunto. Até a Globo mesmo, no Profissão Repórter, já mostrou a rotina de atletas profissionais de League of Legends. A SporTV teve, nesse ano, uma premiação dos melhores do ano - assim como têm de música, filme e afins. Com times de basquete e futebol adquirindo direitos de times de jogos eletrônicos, a gente consegue ver isso. No Brasil não é diferente. Já temos alguns times de futebol fazendo isso, e é muito importante para o cenário. Aos que não entendem e gostariam de entender, o e-Sport é a modalidade dos famosos "joguinhos", onde atletas profissionais competem em campeonatos. Hoje, isso é considerado até um emprego. Hoje, algumas pessoas deixam de lado o bobo preconceito que têm sobre os que levam seus sonhos e seus empregos a sério. Algumas.
Agora sobre o título dessa thread, citarei algumas (não todas) coisas que aconteceram para os Brasileiros neste ano.
League of Legends O cenário de LoL Brasileiro está bom já faz muito tempo, mas infelizmente, na minha opinião, não no cenário internacional. Apesar do crescimento contínuo do e-Sport no Brasil, ainda não há incentivo o suficiente para levar totalmente em consideração no país, e ainda não tem nível o suficiente para competir contra os times grandes de fora. Ainda assim, este ano o Brasil - representado pela Team One - foi para o mundial, mas falhou na fase anterior ao evento principal, encerrando assim, sua participação no torneio. Além disso, no primeiro semestre do ano, o país hospedou um campeonato grande, o Mid-Season Invitational 2017, no Maracanãzinho, Rio de Janeiro.
Dota 2 O Dota 2 brasileiro teve um impacto muito grande no cenário internacional este ano. A SG e-Sports esteve em ascensão no meio do ano, conseguindo resultados importantes e até significantes. Ela venceu a Secret no Major de Kiev, em uma melhor de 3. Na série seguinte, contra a EG, deixou a vitória escapar no terceiro jogo (decisivo), em uma série muito boa. Depois deste evento grande, ainda tivemos o The International - o campeonato mais importante de Dota 2 no ano. O Brasil contou com dois participantes (Midas Club Elite e SG e-Sports), mas ambos falharam para se classificar para o evento principal. Apesar dos resultados ótimos para um time considerado underdog, sem muito reconhecimento internacional, o elenco passou por uma fase turbulenta após este evento, levando a separação deste. Mesmo assim, depois de um tempo, a SG se reergueu e montou um time competitivo novamente - este, que ganhou quase todos os campeonatos em que disputava aqui na região da América do Sul, conseguindo novamente a classificação para um Major, mas não obteve o mesmo sucesso de antes.
Street Fighter V Apesar dos jogos de luta ainda não serem considerados um e-Sport para muitos que acompanham, é outra modalidade que não dá para negar o crescimento. Dois jogadores representaram o Brasil este ano na Capcom Cup: Brolynho e Didimokof. Em um campeonato com 32 participantes, Brolynho terminou em 25°, enquanto o Didimokof terminou em 13°, fazendo com que o país ganhe uma notória visibilidade para o cenário. Também neste ano, tivemos a EVO 2017, um evento onde 2625 pessoas realizaram a inscrição, o Brolynho também terminou em 25°, sendo este a melhor colocação de qualquer brasileiro no torneio. A EVO é o torneio mais esperado do ano para os amantes da comunidade de jogos de luta (FGC).
Counter-Strike Global Offensive Quem não passou a maior parte da infância/adolescência jogando um dos FPS mais famosos em lan-houses ou em casa? Pois é, Fallen, Coldzera, TACO, fer e boltzz (felps) definitivamente passaram. Os brasileiros da SK Gaming hoje são os melhores do mundo. Literalmente os melhores do mundo, já que no ano de 2017 eles ganharam 8 títulos de grande expressão. Apesar de não conseguirem repetirem o feito de 2016, que era de ganhar os 2 majors anuais, eles estão no topo do mundo, e tudo indica que no ano que vem continuarão. Eles são um exemplo de superação e determinação, sugiro procurarem a história deles caso queiram saber melhor sobre o melhor time de CS do mundo de 2017. Mesmo que a SK Gaming não tenha ido à final de major neste ano, tivemos outra organização que representa o Brasil que conseguiu ir à final de um (PGL Krakow Major). A Immortals, que contava com Steelega, Hen1, Lucas1, kNg e Boltz infelizmente perdeu para a Gambit Gaming nas grandes finais. Mas isso não apaga a história que eles escreveram. A Organização e alguns jogadores nunca tinham jogado o campeonato de peso de Major, que é o mais cobiçado do ano. A classificação deles para entrar no torneio foi de maneira heróica, e seu resultado mais ainda.
Starcraft 2 Enviado pelo boo_ceta O jogador Kelazhur, a algum tempo, tem se destacado em diversos campeonatos, sendo mais um brasileiro a nos representar em mais um jogo!
Outros jogos como Fifa 17/18, Rainbow Six, Clash Royale Eu particularmente não tenho informações destes jogos, mas ao longo do ano vi que estão com uma visibilidade relativamente grande, e espero que continue assim! Os quatro jogos que citei com mais detalhes são os que eu acompanho com mais frequência.
É isso! Como um cara apaixonado por e-Sports e jogos eletrônicos eu desejo toda a sorte do mundo à todos os atletas profissionais do Brasil, e espero que eles tenham muito sucesso para nos representar!
Qualquer dúvida estarei à disposição!
NL;NL: LoL: conseguiu classificar para as preliminares do Mundial, mas não conseguiu entrar para a fase de grupos. Dota 2: resultados significantes contra times grandes de fora, e ganhou muitos torneios da América do Sul. Street Fighter V: resultados significantes para os maiores campeonatos de luta do ano. CS:GO: SK Gaming o melhor time do mundo, ganharam 8 torneios dos 9 em que foram para as finais. Immortals vice campeã de um Major, campeonato mais importante do ano.
Feliz ano novo para todo mundo! Espero que 2018 seja muito melhor do que 2017 para todos vocês!
submitted by Nekissuz to brasil [link] [comments]


2017.09.01 23:52 FinnagainsAwake Do Americans Have a Right to Sexual Pleasure? - by David Rosen (CounterPunch) 1 Sept 2017

Do Americans have a “right” to sexual pleasure, something different, more erotically fulfilling than the sexual intercourse required for procreation? Such a right would be neither formal nor implied, but more an aspirational desire, a sensuous reminder of what could be.
The concept of a personal “right” suggests two, often conflicting, notions. One is formal, a legal right, a specific freedom enumerated in the U.S. Constitution. Such rights include free speech and assembly. A second notion is informal, an implied right that is established by precedent; a practice contested over time that becomes an accepted right. Among such rights are the use of a contractive, interracial marriage, having an abortion, engaging in consensual sodomy and gay marriage as well as bearing arms. Unfortunately, these are rights, like slavery, that can be redefined over time.
Over the last half-century, changes in popular culture and key Supreme Court (and other court) decisions have transformed the meaning of sex in the lives of ordinary Americans. A 2016 report in the Journal of Sexual Medicine notes, “… sexual health was a highly important aspect of quality of life for many participants, including participants in poor health. Moreover, participants in poorer health reported lower sexual satisfaction.”
The Trump administration is moving to turn back the clock on sexual freedom by aggressively relaunching the culture wars. The political and religious right seeks to contain the on-going transformation of America’s sexual culture. Since the post-WW-II consumer revolution, sex has been, simultaneously, emancipated and commodified, the definition of the sexually acceptable expanded as it was increasing integrated into the marketplace.
Commercial sex business is estimate to be a $50 billion enterprise. Trump’s sex-related policies seek to restrict the scope of human sexual experience, of moving the line where personal pleasure and the market economy cross paths. Trump’s campaign to block transgender people from the military is but the latest salvo in the renewed culture wars.
The Constitution was adopted in 1791 and does not directly address the question of sexual pleasure, a most personal — and often private — experience. It does, however, directly consider the issue of personal privacy, alluding to it in four Amendments – the Fourth, Fifth, Ninth and Fourteenth. They be summarized as follows: the Fourth protects against unwarranted searches and seizures; the Fifth protects against self-incrimination; the Ninth identifies that other rights may exist not enumerated; and the Fourteenth has been applied to a wide range of personal privacy matters including procreation, marriage, child rearing and termination of medical treatment.
The issue of sex has divided the nation since its founding, the boundaries of pleasure fought over by each new generation. Over the last four centuries of American legal and social history, four broad issues have framed consideration of sexual pleasure.:
(i) was the sex with another of the opposite gender for reproduction?; (ii) was the sex with another of the opposite gender for pleasure, not procreation?; (iii) was the sex with another of the same sex, for pleasure?; and (iv) was the sex voluntary and consensual, not rape, trafficking or pedophilia? 
Each issue can involve one of a variety of forms of sexual pleasure, whether experienced physically (e.g., intercourse, orgasm) or emotionally (e.g., fulfillment, psychotic abuse). Each issue has been addressed, in one form or another, since the nation’s founding. The battle over what was “acceptable” sexual pleasure shaped the nation’s legal and social standards as well as actual physical sexual practices Americans have engaged in over the last four centuries. These issues raise a deeper question about America society: is it a religious or a secular nation?
Challenges to the then-dominant moral order have, for centuries, played-out on numerous battlegrounds. They having involved sex across the race and gender lines; non-marital and non-procreative sex; using birth-control devices and abortion procedures to prevent procreation and to insure the health (physically and psychologically) of the mother and the viability of the fetus; using ever-newer forms of speech to push the boundaries of sexual expression; expanding sexual identity to more than only two genders; regulating prostitution and commercial sex for the good of the sex worker and client, thus cutting-out the middlemen, traffickers; and bringing notions of restorative justice to the treatment of people convicted of sexual crimes, 21st century witches.
Compounding the specific issue of struggle, the emergence of a mass consumer market during the 20th century — first in the post-WW-I era, then in post-WW-II-era – enormously expanded American sexual culture. In the postwar era, the advertising, fashion and entertainment industries — along with the adoption of the birth-control pill and teen sex-education — eroticized American life, especially the life of women (and, increasingly, younger girls). Cumulatively over the last century or so, Americans seem to have come to accept the legitimacy of their right to sexual pleasure.
Sexual pleasure can be experienced individually or with another(s), be it involving one’s same or another sexuality. Each sphere of sexual pleasure needs to be considered on its own terms; together, they fashion sexual culture.
Since the 1960s, key Supreme Court decisions significantly expanded the acceptable spheres of adult sexual practice with another, shifting the legal framework of privacy and pleasure. Among the decisions are: Griswold v. Connecticut (1965), granted married couples the right to purchase and possess contraception materials; Loving v. Virginia (1967), giving interracial couples the right to marry; Eisenstadt v. Baird (1972), extended to unmarried people the right to acquire and use contraceptives; Roe v. Wade (1973), guaranteeing a woman the right to terminate her pregnancy; and Bowers v. Hardwick (1986), that criminalizing consensual same-sex sodomy.
More recently Planned Parenthood of Southeastern Pennsylvania v. Casey (1992) upheld Roe, but permitted states to regulate abortions to ostensibly protect the health of the mother and the life of the embryo/fetus; Lawrence and Garner v. Texas (2003) overturned Bowers, extending constitutional privacy protections to adults who engage in private, consensual sodomy; U.S. v. Windsor (2013) ruled the 1996 Defense of Marriage Act (DOMA) was unconstitutional; Obergefell v Hodges (2015) legalized gay marriage; and Whole Woman’s Health v. Hellerstedt (2016) overturned a Texas law restricting the delivery of abortion services.
In these and other decisions, the nature of sexual pleasure appears never have been defined. Rather sexuality was indirectly approached from two very different perspectives. First, in terms of a heterosexual’s right to acquire and use contraceptives to control procreation by, initially, married couples (Griswold) and, then, by unmarried adults (Eisenstadt). Second, in terms of a homosexual’s right to engage in consensual sodomy (Bowers and Lawrence) and to marry (Obergefell).
The right to the outcome of heterosexual sexual engagement was hinted at in Griswold and more formally articulated in Eisenstadt. As Justice Arthur Goldberg noted in Griswold, “If the right of privacy means anything, it is the right of the individual, married or single, to be free from unwarranted governmental intrusion into matters so fundamentally affecting a person as the decision whether to bear or beget a child.”
The right to sexual pleasure was directly addressed in the Lawrence decision overturning Bowers. In Bowers, the Court earlier ruled, “Sodomy was a criminal offense at common law and was forbidden by the laws of the original thirteen States when they ratified the Bill of Rights.” It added, “In fact, until 1961… all 50 States outlawed sodomy, and today, 24 States and the District of Columbia continue to provide criminal penalties for sodomy performed in private and between consenting adults.” Sodomy among consent adults was considered a crime.
In the 2003 Lawrence decision, the Court split, with the majority — led by Justice Kennedy, supported by Breyer, Ginsburg, O’Conner, Souter and Stevens — looking forward; those looking backward included Rehnquist, Scalia and Thomas. In Kennedy’s words, “Liberty presumes an autonomy of self that includes freedom of thought, belief, expression, and certain intimate conduct. The instant case involves liberty of the person both in its spatial and more transcendent dimensions.” Sadly, people are still not sexual creatures.
Conservative Americans have long feared what was consider “obscene” forms of sexual expression, be it in word, image or other forms of representation. They represent the single greatest source of auto-erotic pleasure, masturbation, more so in the Internet age. The U.S.’s first obscenity case was in 1821, when a Massachusetts court outlawed Fanny Hill; the publisher, Peter Holmes, was convicted for printing a “lewd and obscene” novel.
In 1873, Congress passaged what were known as “Comstock laws,” the “Suppression of Trade in, and Circulation of, Obscene Literature and Articles of Immoral Use” promoted by the hyper-moralist, Anthony Comstock, and would remain in place for nearly half-a-century. It criminalized the sending of erotica, contraceptives, abortifacient and sex toys through the postal system. In 1881, with Comstock’s backing, the Boston District Attorney forced the suppression of Walt Whitman’s Leaves of Grass, one of America’s greatest literary works.
In Roth v. U.S. (1957), the Court convicted Samuel Roth and Marvin Miller of distributing obscene material, i.e., speech not protect by the First Amendment. However, in its judgement, it redefined obscenity as material whose “dominant theme taken as a whole appeals to the prurient interest” to the “average person, applying contemporary community standards.” In 1962, the Court ruled in Manual v. Day that the Post Office could not refuse mail services for male physique magazines; Justice John Marshall Harlan distinguished between a “prurient” appeal and an obscene image and wrote that the images in Manual were not “patently offensive” based on community standards.
This sentiment was reiterated in Jacobellis v. Ohio (1964) that found that Louis Malle’s film, The Lovers (Les Amants), was not obscene; Justice Potter Steward famously lamented: “I shall not today attempt further to define the kinds of material I understand to be embraced within that shorthand description [“hard-core pornography”], and perhaps I could never succeed in intelligibly doing so. But I know it when I see it, and the motion picture involved in this case is not that.”
In Miller v. California (1973) the Court made a major shift in the definition of obscenity. It revised the old standing — a work “utterly without socially redeeming value” — to that lacking “serious literary, artistic, political, or scientific value.” However, in the 1978, it ruled that George Carlin’s “seven dirty words” — shit, piss, fuck, cunt, cocksucker, motherfucker and tits — aired over Pacific Radio station WBAI were obscene, thus prohibiting them from being uttered over broadcast radio or television.
Most noteworthy of recent obscenity cases, in 2004, the Court refused to reinstate an FCC fine against CBS-TV broadcast of the Super Bowl XXXVIII halftime show in which a “costume malfunction” exposed Janet Jackson bare breast and nipple shield for about 9/16th of a second to an audience of nearly 150 million viewers.
In a 2004 article in the Yale Journal of Law & Feminism, “A Bedroom of One’s Own: Morality and Sexual Privacy,” Marybeth Herald argues that “the Lawrence decision disengaged sex from reproduction by protecting sexual relationships where procreation was not possible.” She adds, “Lawrence gives power to the value of sexual intimacy alone, unrelated to procreative issues.” It legitimized adult non-reproductive acts like anal intercourse, but also private masturbation, oral sex (i.e., fellatio and cunnilingus), viewing pornography and the use of sex toys (e.g., dildos, vibrators).
Lawrence was decided in 2003, nearly a decade-and-a-half ago. This was the period when sexual pleasure shifted from a private consensual practice to a public commercial business or erotic performances. During this period, the Court has allowing localities great latitude determining what is acceptable. Domains of “public” sex include:
(i) adult sex-toy retail outlets, (ii) sex-performance venues and (iii) commercial sex engagements. 
Under the Trump administration, each can be expected to face increased repression.
Both sex-toy stores (including adult video outlets) and sex-performance venues (including strip clubs) are considered sexually oriented businesses (SOBs). They are subject to varying state and local licensing requirements and and zoning regulations. In June 2017, New York State’s Court of Appeals ruled in favor of a local New York City regulation that bans adult businesses from most residential and commercial districts. As of 2016, it was illegal to purchase of sex toy in Mississippi, Alabama and Virginia in apparent violation of the Lawrence decision.
Strip or “gentlemen’s” clubs appear to operate in every state and (formally) adhere to what is known as the “6-foot rule” requiring dancers while performing to maintain a 6-foot distance from patrons. Clubs permitting female entertainers to performing fully nude are subject to further requirements, including no-touch rules between customers and dancers as well as restrictions on alcohol sales.
In the early-21st century, many Americans seem to assume a personal “right” to sexual pleasure. Consensual, adult sexual fulfillment (however defined) is an expected aspect of people’s lives. It’s been integrated into the mainstream of the marketplace, estimated to be a multi-billion-dollar enterprise. The Trump administration can be expected to undertake efforts to contain, if not suppress, popular sexual culture. Whether it succeeds or not will be determined to what extent the Supreme Court, and popular society, accepts the personal right to sexual pleasure.
https://archive.is/c1dCb
submitted by FinnagainsAwake to SpaceFeminists [link] [comments]


2017.04.14 02:12 sally-draper Sélection du 70ème festival de Cannes

(Comme d'hab j'aime bien regarder la conférence de presse annonçant les films sélectionnés à Cannes qui marqueront l'année et je prends des notes pour pouvoir y retourner dans un mois et au delà, lors des sorties des films).
Festival du mercredi 17 au dimanche 28 mai.
Sélections Semaine de la Critique et Quinzaine des Réalisateurs annoncées 24 et 25 avril.
Chiffres : 1930 films vus par le comité cette année (1665 en 2010) ; 49 longs métrages cette année ; 29 pays représentés (27 en 2016); 9 premiers films (7 en 2016, 5 en 2014) ; 12 réalisatrices (9 en 2016, 6 en 2014).
Sélection officielle (modifications/ajouts à prévoir) :
En Compétition (18 films) :
  • Le Redoutable - Michel Hazanavicius - Louis Garrel, Bérénice Bejo, Stacy Martin.
Godard en 1967/68. Adaptation du livre Un an après d'Anne Wiazemsky.
(The Search, The Artist, OSS 117, La Classe américaine, Derrick contre Superman..)
  • 120 battements par minute - Robin Campillo (France) - Nahuel Pérez Biscayart, Arnaud Valois, Adèle Haenel.
Années de la fondation d'Act Up. Drame.
(Eastern Boys, Les Revenants)
  • L'amant double - François Ozon (France) - Marine Vacth, Jérémie Renier, Jacqueline Bisset.
Film Hitchockien... Une femme découvre que son psy et amant lui a caché une partie de son identité.
(Frantz, Une nouvelle amie, Jeune et Jolie, Dans la maison, Potiche, Swimming Pool, 8 femmes...)
  • Rodin - Jacques Doillon (France) - Vincent Lindon, Izïa Higelin, Séverine Caneele.
(Mes séances de lutte, Ponette, Le Petit Criminel, La Tentation d'Isabelle, La Drôlesse, Un sac de billes...)
  • Happy End - Michael Haneke (Autriche) - Isabelle Huppert, Jean-Louis Trintignant, Mathieu Kassovitz.
Drame familial à Calais, durant la crise des migrants.
(Amour, Le Ruban blanc, Caché, La Pianiste, Funny Games....)
  • In the Fade - Fatih Akin (Allemagne) - Diane Kruger.
Drame. Histoire de vengeance dans la communauté turque d'Allemagne.
(Head-On, De l'autre côté, Soul Kitchen)
  • You Were Never Really Here - Lynne Ramsay (UK) - Joachim Phoenix.
Thriller.
(We Need to Talk About Kevin, Morvern Callar, Ratcatcher)
  • The Killing of a Sacred Deer - Yorgos Lanthimos (Grèce) - Colin Farrell, Nicole Kidman, Alicia Silverstone.
Thriller. Un chirurgien fait un sacrifice après avoir soigné un garçon.
(The Lobster, Dogtooth, Alps, Kinetta)
  • Jupiter's Moon - Kornel Mundruczo (Hongrie)
Fantastique, sur l'accueil des migrants.
(White God, Tender Son - The Frankenstein Project, Delta..)
  • A Gentle Creature - Sergei Loznitsa (Ukraine)
Road movie campagne Russe. Drame, un bourreau prenant plusieurs formes ?
(Dans la brume, My Joy, Les Ponts de Sarajevo..)
  • The Beguiled/Les proies - Sofia Coppola (US) - Nicole Kidman, Elle Fanning, Kirsten Dunst, Colin Farrell.
En Virginie en 1864. Alors que la guerre de Sécession fait rage, le pensionnat pour jeunes filles tenu par Martha Farnsworth demeure totalement en dehors des conflits. Mais un jour, le pensionnat recueille un soldat, gravement blessé.
(The Bling Ring, Somewhere, Marie-Antoinette, Lost in Translation, The Virgin Suicides)
  • Wonderstruck - Todd Haynes (US) - Amy Hargreaves, Michelle Williams, Julianne Moore.
Deux enfants sourds vivent à différentes époques, en 1927 et en 1977. Ils s'échappent tous les deux de New York. Malgré les cinquante ans les séparant, ils sont mystérieusement connectés l'un à l'autre. Drame. Scénariste d'Hugo Cabret.
(Carol, Mildred Pierce, I'm not There, Far From Heaven...)
  • Good Time - Frères Benny & Josh Safdie (US) - Robert Pattinson, Jennifer Jason Leigh.
Film de braquages.
(Heaven Knows What, Lenny and the Kids, The Pleasure of Being Robbed)
  • The Meyerowitz Stories - Noah Baumbach (US) - Adam Sandler, Emma Thompson, Ben Stiller, Dustin Hoffman.
Une famille dysfonctionnelle se réunit à New York à l'occasion d'une cérémonie hommage au père artiste. Comédie dramatique.
(Frances Ha, The Squid and the Whale, Mistress America)
  • Loveless - Andrey Zvyagintsev (Russie)
Pendant que les parents se disputent, les enfants sont malheureux. Pendant que les gouvernements se disputent, les peuples souffrent.
(Leviathan, Elena, The Banishment, The Return)
  • Okja - Bong Joon-Ho (Corée du Sud) - Tilda Swinton, Paul Dano, Ahn Seo-hyeon, Jake Gyllenhaal.
Une petite fille Mija engage tout pour empêcher une puissante multinationale d’enlever son meilleur ami, un monstre géant. Film très politique sous ses aspects de comédie, exploitation des animaux.
(Memories of Murder, The Host, Mother, Snowpiercer)
  • The Day After - Hong Sang-Soo (Corée du Sud)
(aussi présent en séance spéciale). Noir et blanc.
(Turning Gate....)
  • Radiance/Hikari - Naomi Kawase (Japon)
Drame.
(Les Délices de Tokyo, Still the Water, La Forêt de Mogari...)
Hors Compétition :
  • Les Fantômes d'Ismaël - Arnaud Desplechin (France) - Mathieu Amalric, Marion Cotillard, Charlotte Gainsbourg.
(Film d'ouverture). Un réalisateur est perturbé par le retour d'un amour dont il n'a pas réussi à faire le deuil.
(Trois souvenirs de ma jeunesse, Jimmy P., Un conte de Noël, Rois et Reine, Esther Kahn, Comment je me suis disputé…)
  • Blade of the Immortal - Takashi Miike (Japon)
Film fantastique, de sabres.
(Ichi the Killer, ....)
  • How to Talk to Girls at Parties - John Cameron Mitchell (US) - Nicole Kidman, Elle Fanning.
Comédie fantastique.
(Rabbit Hole, Shortbus)
  • Visages, villages - Agnès Varda & JR (France)
Docu/Conte/promenade/road movie dans la campagne française.
(Les Plages d'Agnès, Les Glaneurs et la Glaneuse, L'Univers de Jacques Demy, Sans toit ni loi, L’Une chante, l’autre pas, Cléo de 5 à 7 & Women Are Heroes...)
Un Certain Regard (16/18 prévus):
  • L'atelier - Laurent Cantet (France)
(Retour à Ithaque, Foxfire, confessions d'un gang de filles, Entre les murs, Vers le sud, L'Emploi du temps, Ressources humaines)
  • Barbara - Mathieu Amalric (France) - Jeanne Balibar, Mathieu Amalric.
L'histoire d'un metteur en scène qui veut tourner un film sur la chanteuse Barbara.
(La chambre bleue, Tournée..)
  • Jeune femme - Léonor Serraille (France)
1er film.
  • Fortunata/Lucky - Sergio Castellitto (Italie)
(Venir au monde, À corps perdus)
  • Après la guerre - Annarita Zambrano (Italie)
1er film. Réfugiés politiques en France
  • Western - Valeska Grisebach (Allemagne)
Tourné en Bulgarie.
  • Directions/Posoki - Stefan Komandarev (Bulgarie)
Road movie?
(Sadilishteto, The World is Big)
  • Out - Gyorgy Kristof (Slovaquie)
1er film. Travailleurs détachés.
  • Tesnota/Etroitesse - Kantemir Balagov (Russie)
1er film.
  • Beauty and the Dogs/La Belle et la Meute - Kaouther Ben Hania (Tunisie)
3ème film.
  • The Nature of Time/En attendant les hirondelles - Karim Moussaoui (Algérie)
1er film.
  • Lerd/Dregs - Mohammad Rasoulof (Iran)
  • Avant que nous disparaissions/Before We Vanish - Kiyoshi Kurosawa (Japon)
(Vers l'autre rive, Tokyo Sonata, Kaïro, License to Live, Cure, Charisma...)
  • Wind River - Taylor Sheridan (US)
1er film. Film de genre, Wyoming, Indiens, neige. Cory, traumatisé par la mort de sa fille, travaille comme chasseur de coyotes et autres prédateurs. Il trouve le corps violé d'une adolescente dans une région désertée et aide un agent du FBI à trouver le coupable.
(scénariste de Sicario, Hell or High Water)
  • Las Hijas de Abril - Michel Franco (Mexique)
(Chronic, Después de Lucía)
  • La Novia del Desierto/La fiancée du désert - Cecilia Atán & Valeria Pivato (Argentine)
1er film. Road movie.
Séances spéciales :
  • Carne y Arena /Chair et sable - Alejandro González Iñárritu (Mexique)
Court-métrage en réalité virtuelle.
  • Come Swim - Kristen Stewart (US)
Court-métrage.
  • 24 Frames - Abbas Kiarostami (Iran)
Expérimental, composé de plusieurs courts-métrages ?(Posthume).
  • Twin Peaks - David Lynch (US)
2 épisodes.
  • Top of the Lake - Jane Campion (Nouvelle-Zélande)
Série.
  • Napalm - Claude Lanzmann (France)
Docu sur la Corée du Nord.
  • An Inconvenient Sequel - Al Gore (US)
Docu réchauffement climatique.
  • Sea Sorrow - Vanessa Redgrave (UK)
Docu sur les réfugiés, ou ceux qui les aident.
  • 12 Jours - Raymond Depardon (France)
Docu sur l'internement psy.
  • Promised Land - Eugene Jarecki (US)
Docu sur Elvis Presley et l'Amérique (thèse sur l'élection de Trump).
(The House I Live In, Freakonomics....)
  • Demons in Paradise - Jude Ratnam (Sri-Lanka)
Docu sur la guerre civile au Sri Lanka. 1er film.
  • Ils/They - Anahita Ghazvinizadeh (Iran)
1er film.
  • Claire's camera - Hong Sang-Soo (Corée du Sud) - Isabelle Huppert.
Tourné pendant le festival de Cannes.
Séances de Minuit :
  • The Villainess - Jung Byung-gil (Corée du Sud)
Policier
  • The Merciless - Byun Sung-hyun (Corée du Sud)
Policier.
  • A Prayer Before Dawn - Jean-Stéphane Sauvaire (France)
Prison thaïlandaise.
(Johnny Mad Dog)
submitted by sally-draper to guessthefrenchmovie [link] [comments]


2016.12.20 19:07 RandomMe98 Chatices televisivas

Este fim-de-semana, sobretudo pelo facto de sábado e domingo calharem a 24 e 25, não vão passar o Dragon Ball Super por causa das habituais maratonas de filmes familiares que vão da manhã até à noite [1] que a SIC nos habituou. E nisto chega uma chatice intemporal que a minha mãe, nos anos 80, teve enquanto criança.
Na sua infância, ela odiava o Natal exclusivamente por questões televisivas. "Ai, quero ver o Dartacão [2] e não posso, estão a dar coisas aborrecidas". Coisas aborrecidas como o Natal dos Hospitais, que chegou a ser transmitido perto da véspera de Natal, música clássica, o que fez com que a cultura popular usasse a Antena 2 como repelente para muitas crianças, ou desenhos animados especiais.
Tem calma. Isto sempre aconteceu. Ainda por cima os da SIC deixaram Dragon Ball Super com 26 episódios emitidos ainda em 2016 e deixaram um episódio muito prometedor só para... 2017.
Mas não é só, pois tenho outras chatices para contar.
Uma delas foi quando chegava o dia 1 de Junho e a série Os Meus Padrinhos São Mágicos! [3] desaparecia da grelha do Canal Panda, só que depois descobri que mudaram o horário (qual balde de água fria). Até poderia mencionar a mudança do Cartoon Network em 2013 mas como já ando mais preocupado com o Disney Channel (um canal desnorteado) eu poderia esquecer. [4]
Em 2012 houve uma grande farsa para nós, amantes da animação, para a "estreia" portuguesa de Gravity Falls, que era para ser por volta das 22 horas do dia 31 de Outubro do dito ano (!) e só metade do "primeiro" episódio. [5] E depois vinha o desapontamento quando foi um falso alarme. Tivemos de esperar até Junho do ano seguinte!
As falhas técnicas são outra categoria. Ainda me lembro quando o bom velho Cartoon Network europeu perdia o sinal, lembro-me que aconteceu numa curta de Tom e Jerry que já sabia a história quando já tinha uma falha temporária. Como o canal era partilhado, a passagem para o TCM às 20 (às 21 até Abril de 2003) era algo como o fim da diversão propriamente dita. [6]
As interrupções para notícias de última hora, algo redundante para as generalistas por causa dos canais de notícias (ver caso da RTP 3) para não emitir certos programas é algo que muita gente não recorda com saudade. Apesar de ser um fã do CN da altura, lembro-me que durante a guerra do Iraque em 2003 a SIC fez uma emissão especial e não emitiu os desenhos animados. Nem sequer passaram a outro horário só para compensar as crianças!
Bem, peço desculpa pelo post mais ou menos "comprido", mas lanço o desafio: de que chatices televisivas é que não recordas com saudade?
[1] obviamente é preciso ter interrupções para os noticiários
[2] pode ser Dartacão, pode ser D'artacão, pode ser outra série, pois é o que tínhamos de contentar na altura
[3] agora conhecido como Os Padrinhos Mágicos
[4] o Cartoon Network uniformizou o seu estilo de séries, não há volta a dar
[5] primeiro na linha histórica, quinto na linha de emissão
[6] tal como as quatro horas em que o Canal Panda se encontrava sem emissão
submitted by RandomMe98 to portugal [link] [comments]


2016.04.14 19:31 sally-draper Sélections Festival de Cannes 2016

Don't mind me... Je me fais juste un mémo extensif sur les films sélectionnés à Cannes... pour m'y retrouver lors de la couverture médiatique bordélique et durant les longs mois suivants, à mesure qu'ils sortiront en salles.
Longs Métrages en compétition :
Ma Loute - Bruno Dumont - FRANCE - Comédie dramatique - Luchini, Binoche, Bruni Tedeschi - Sortie le 11 mai.
Eté 1910, baie de la Slack dans le Nord de la France. De mystérieuses disparitions mettent en émoi la région. L’improbable inspecteur Machin et son sagace adjoint Malfoy (mal)mènent l’enquête. Ils se retrouvent, bien malgré eux, au cœur d’une étrange et dévorante histoire d’amour entre Ma Loute, fils ainé d’une famille de pêcheurs aux mœurs particulières et Billie Van Peteghem, la benjamine d’une famille de riches bourgeois Lillois décadents.
(Filmo : La Vie de Jésus, L'Humanité, P'tit Quinquin...)
Julieta - Pedro Almodovar - Espagne - Drame - 18 mai.
Julieta parle du destin, de la culpabilité, de la lutte d’une mère pour survivre à l’incertitude, et de ce mystère insondable qui nous pousse à abandonner les êtres que nous aimons en les effaçant de notre vie comme s’ils n’avaient jamais existé.
(Tout sur ma mère, Volver, La Piel que habito, Les amants passagers...)
Elle - Paul Verhoeven - Pays-Bas - Thriller - Huppert, Lafitte, Efira - 25 mai.
À la tête d'une grande entreprise de jeux vidéo, Michèle gère ses affaires comme sa vie sentimentale : d'une main de fer. Sa vie bascule lorsqu’elle est agressée chez elle par un mystérieux inconnu. Inébranlable, Michèle se met à le traquer en retour. Un jeu étrange s'installe alors entre eux...
(Total Recall, Basic Instinct...)
The Neon Demon - Nicolas Winding Refn - Danemark - ThrilleHorreur - Elle Fanning, Keanu Reeves - 8 juin.
Une jeune fille débarque à Los Angeles. Son rêve est de devenir mannequin. Son ascension fulgurante, sa beauté et sa pureté suscitent jalousies et convoitises. Certaines filles s’inclinent devant elle, d'autres sont prêtes à tout pour lui voler sa beauté...
(Pusher, Drive, Only God Forgives...)
Rester Vertical - Alain Guiraudie - FRANCE - Drame - 24 Août.
Léo est à la recherche du loup sur un grand causse de Lozère lorsqu’il rencontre une bergère, Marie. Quelques mois plus tard, ils ont un enfant. En proie au baby blues, et sans aucune confiance en Léo qui s’en va et puis revient sans prévenir, elle les abandonne tous les deux. Léo se retrouve alors avec un bébé sur les bras. C’est compliqué mais au fond, il aime bien ça. Et pendant ce temps, il ne travaille pas beaucoup, il sombre peu à peu dans la misère. C’est la déchéance sociale qui le ramène vers les causses de Lozère et vers le loup...
(Le roi de l'évasion, L'inconnu du lac..)
Juste la fin du monde - Xavier Dolan - CANADA - Drame - Cotillard, Ulliel, Seydoux, Cassel, Baye - 21 septembre.
L’après-midi en famille d’un jeune auteur qui, après 12 ans d’absence, retourne dans son village natal afin d’annoncer aux siens sa mort prochaine...
(J'ai tué ma mère, Laurence Anyways, Tom à la ferme, Mommy..)
Aquarius - Kleber Mendonça Filho - Brésil - Drame/Thriller - 28 septembre.
Clara, 65 ans, est critique de musique retraitée. Veuve, elle a trois enfants aujourd'hui adultes et vit dans dans un appartement plein de disques et de livres situé dans l'immeuble "Aquarius". Mais Clara a un talent particulier : elle voyage dans le temps...
(Les bruits de Recife)
La fille inconnue - Frères Dardenne - BELGIQUE - Drame - Haenel, Renier, Gourmet - 12 octobre.
Jenny, médecin généraliste, se sent coupable de ne pas avoir ouvert la porte de son cabinet à une jeune fille retrouvée morte peu de temps après. Apprenant par la police que l'identité de la jeune fille est inconnue, Jenny se met en quête de trouver son nom...
(Rosetta, Le fils, Deux jours une nuit...)
Personal Shopper - Olivier Assayas - FRANCE - Fantastique/Thriller - Stewart - 19 octobre.
Maureen est une jeune américaine à Paris gagnant sa vie comme «personal shopper» pour une célébrité. Elle possède aussi une capacité aigue à communiquer avec les esprits, qu’elle partageait avec son frère jumeau, Lewis, décédé récemment...
(Clean, Carlos, Sils Maria...)
Mal de Pierres - Nicole Garcia - FRANCE - Drame - Cotillard,, L Garrel - 19 octobre.
Gabrielle a grandi dans la petite bourgeoisie agricole où son rêve d’une passion absolue fait scandale. Ses parents la donnent à José, un ouvrier saisonnier, chargé de faire d’elle une femme respectable. Lorsqu’on l’envoie en cure thermale pour soigner ses calculs rénaux, son mal de pierres, un lieutenant blessé dans la guerre d’Indochine, André Sauvage, fait renaître en elle cette urgence d’aimer. Ils fuiront ensemble, elle se le jure, et il semble répondre à son désir. Cette fois on ne lui prendra pas ce qu’elle nomme « la chose principale ».
(L'adversaire, Un beau dimanche..)
I, Daniel Blake - Ken Loach - UK - Drame.
Daniel Blake, un menuisier anglais de 59 ans, est contraint de faire appel à l’aide sociale à la suite de problèmes cardiaques. Mais bien que son médecin lui ait interdit de travailler, il se voit signifier l'obligation d'une recherche d'emploi sous peine de sanction. Au cours de ses rendez-vous réguliers au « job center », Daniel va croiser la route de Rachel, mère célibataire de deux enfants qui a été contrainte d'accepter un logement à 450km de sa ville natale pour ne pas être placée en foyer d’accueil...
(Kes, Sweet Sixteen, Jimmy's Hall...)
American Honey - Andrea Arnold - UK - Comédie dramatique - LaBoeuf.
Un jeune homme rejoint l'équipe commerciale d'un magazine. Il découvre alors une vie faite de beuveries, de morale douteuse et de sexe...
(Red Road, Fish Tank, Wuthering Heights)
Baccalauréat - Cristian Mungiu - Roumanie - Drame.
Ce que les parents disent à leurs enfants et ce que ces derniers voient leurs parents faire...
(4 mois 3 semaines 2 jours ,Au-delà des collines..)
Sierranevada - Cristi Puiu - Roumanie - Drame.
Une réunion de famille ne se déroule pas comme prévue...
(La mort de Dante Lazarescu..)
Toni Erdmann - Maren Ade - Allemagne - Drame.
Lorsque Winfried, 65 ans, rend une visite surprise à sa fille Ines, 37 ans, en Roumanie, il pense que cette dernière a perdu le sens de l'humour et décide de l'aider à le retrouver, en multipliant les farces...
(Everyone Else..)
Loving - Jeff Nichols - US - Drame - M Shannon, J Edgerton.
Mildred et Richard Loving s'aiment et décident de se marier. Rien de plus naturel – sauf qu'il est blanc et qu'elle est noire dans l'Amérique ségrégationniste de 1958. L'État de Virginie où les Loving ont décidé de s'installer les poursuit en justice. Ils iront jusqu'à la Cour Suprême qui, en 1967, casse la décision de la Virginie. Désormais, l'arrêt "Loving v. Virginia" symbolise le droit de s'aimer pour tous, sans aucune distinction d'origine.
(Take Shelter, Mud, Midnight Special..)
Paterson - Jim Jarmusch - US - Comédie/Drame - A Driver, G Farahani.
Le périple d'un chauffeur de bus du New Jersey, poète à ses heures...
(Ghost Dog, Coffee and Cigarettes, Only Lovers Left Alive...)
The Last Face - Sean Penn - US - Drame - Theron, Bardem, Exarchopoulos, Reno.
Une docteur, qui travaille dans l'humanitaire en Afrique, tombe amoureuse d'un collègue...
(Into the Wild..)
-The Salesman - Asghar Farhadi - Iran.
??
The Handmaiden/Agassi - Park Chan-wook - Corée - Drame/Romance/Thriller.
Entre la Corée et le Japon des années 1930, "The Handmaiden" retrace l'histoire fascinante d'une jeune femme fortunée, d’un escroc surnommé le « Conte », très intéressé par son argent, et d’une fille pickpocket qu’il placera comme servante chez la riche héritière...
(Old Boy, Stoker...)
Ma' Rosa - Brillante Mendoza - Philippines - Drame.
Rosa et Nestor vivent dans les bidonvilles de Manille avec leurs trois enfants. Ils utilisent leur épicerie comme couverture pour vendre de la méthamphétamine. Une nuit, la police vient les arrêter...
(Kinatay, Lola, Taklub...)
Longs Métrages hors compétition :
Café Society - Woody Allen - US - Drame/Romance - Stewart, Eisenberg, Carell, Lively - Film d'ouverture - Sortie le 11 mai.
L'histoire d'un jeune homme qui se rend à Hollywood dans les années 1930 dans l'espoir de travailler dans l'industrie du cinéma, tombe amoureux et se retrouve plongé dans l’effervescence de la Café Society qui a marqué cette époque...
(...Blue Jasmine, Magic in the Moonlight, Irrational Man...)
Money Monster - Jodie Foster - US - Thriller - Clooney, Roberts, O'Connell - 12 mai.
Lee Gates est une personnalité influente de la télévision et un gourou de la finance à Wall Street. Les choses se gâtent lorsque Kyle, un spectateur ayant perdu tout son argent en suivant les conseils de Gates, décide de le prendre en otage pendant son émission, devant des millions de téléspectateurs…
(The Beaver..)
The Nice Guys - Shane Black - US - Comédie/Policier - Gosling, Crowe, Basinger - mai.
Los Angeles. Années 70. Deux détectives privés enquêtent sur le prétendu suicide d’une starlette. Malgré des méthodes pour le moins « originales », leurs investigations vont mettre à jour une conspiration impliquant des personnalités très haut placées…
(Kiss Kiss Bang Bang, Iron Man 3)
La Forêt de Quinconces - Grégoire Leprince-Ringuet - FRANCE - Comédie dramatique - (Séance Spéciale) - 1er Film - 22 juin.
Ondine tombe du piédestal amoureux qui la liait à Paul. Maintenant seul, celui-ci devient la proie du désir de Camille : loin d’elle, Paul devient fou. Après avoir lutté contre la folie, Paul se libère de l’enchantement et meurtrit Camille. Il y aura vengeance…
The Big Fat Giant/Le Bon Gros Géant - Steven Spielberg - US - Aventure/Fantastique/Famille - 20 juillet.
À son arrivée au Pays des Géants, la petite Sophie, une enfant précoce de 10 ans qui habite Londres, a d’abord peur de ce mystérieux géant qui l’a emmenée dans sa grotte, mais elle va vite se rendre compte qu’il est très gentil...
(... War Horse, Lincoln, Bridge of Spies...)
Gimme Danger - Jim Jarmusch - US - Documentaire - (Séance de Minuit).
Documentaire sur le chanteur Iggy Pop et son groupe The Stooges.
Goksung/The Wailing - Hong-jin Na - Corée du Sud - ThrillePolicieDrame.
Un inspecteur et un shaman font équipe pour une enquête mystérieuse...
(The Chaser, The Murderer)
Train to Busan/Bu-San-Haeng/Busan Bound - Sang-ho Yeon - Corée du Sud - Epouvante/Horreur - (Séance de Minuit).
L'apparition d'un virus zombie sur un train à haute vitesse en direction de Busan. Il s'agit de la suite du film d'animation Seoul Station.
(The King of Pigs, Seoul Station..)
Blood Father - Jean-François Richet - FRANCE - Action/Thriller - Gibson - (Séance de minuit).
Un ancien détenu retrouve sa fille de 16 ans et tente de la protéger des trafiquants de drogues qui en veulent à sa vie...
(Mesrine, Un moment d'égarement..)
Chouf - Karim Dridi - FRANCE/Tunisie - Drame - (Séance Spéciale) - octobre.
Sofiane, étudiant, revient pour les vacances dans sa cité des quartiers nord de Marseille. Son frère, dealer, se fait tuer. Sofiane intègre le réseau de drogue pour retrouver les assassins. Piégé par la logique implacable du business, il est entraîné dans une spirale de violence...
(Le dernier vol..)
Le cancre - Paul Vecchiali - FRANCE - Drame/Romance - Deneuve, Amalric, Vecchiali - (Séance Spéciale).
L’histoire se déroule sur neuf ans (2006 – 2015). Elle concerne Rodolphe et Laurent, son fils. Ce dernier, par paresse, s’est imposé à son père pour habiter la maison familiale. Rodolphe couve, sans le savoir, il l’apprendra très tard, une tumeur cérébrale ("cancer", anagramme du "cancre"). Laurent se préserve, attendant sans doute "la" personne avec qui il aimera passer sa vie. Les deux hommes, hyperémotifs, sont pudiques au point de ne pas exprimer la tendresse qui les unit. Aussi leurs rapports sont-ils souvent conflictuels...
La mort de Louis XIV - Albert Serra - Espagne - Drame/Historique - JP Léaud, Patrick d'Assumçao - (Séance Spéciale).
A son retour de chasse, Louis XIV ressent une vive douleur à la jambe… Une quinzaine de jours plus tard, il est alité à Versailles. C’est le début de la lente agonie du plus grand roi de France, entouré de ses fidèles...
Wrong Elements - Jonathan Littell - US - Documentaire - (Séance Spéciale).
Dans les jungles touffues, noires, impénétrables du Congo et de la Centrafrique, des soldats africains, lourdement armés, mènent une chasse à l’homme sans fin. À l’occasion, ils débusquent un ou deux ennemis, les tuent ou les capturent, libèrent leurs esclaves. Sinon, cet ennemi, nul ne le voit : c’est un ennemi invisible. La triste Lord’s Resistance Army, « l’Armée de résistance du Seigneur » de Joseph Kony...
L'Ultima Spiaggia/La dernière plage - Thanos Anastopoulos & Davide Del Degan - Grèce & Italie - Documentaire - (Séance Spéciale).
Comment la vie des habitants des berges de l'Italie est modifiée par l'arrivée des migrants venus de Syrie et d'Irak...
Hissein Habré, une tragédie tchadienne - Mahamat-Saleh Haroun - Tchad - Documentaire - (Séance Spéciale).
Documentaire sur les victimes du régime de Hissein Habré, Président du Tchad entre 1982 et 1990.
(Un homme qui crie, Grisgris ..)
Exil - Rithy Panh - Cambodge/France - Documentaire - (Séance Spéciale).
Documentaire sur le génocide cambodgien.
(L'image manquante..)
+ 10 Courts Métrages en compétition: cf wikipédia
  • Un Certain Regard :
Apprentice - Junfeng Boo - Singapour - Drame - 1er juin.
Aiman officie dans une prison de haute sécurité. Rahim, le bourreau en chef, y accompagne les derniers jours des condamnés. Rapidement, il prend le jeune gardien sous son aile et lui apprend les ficelles du métier. Aiman s'avère être un exécutant très appliqué, mais sa conscience et ses véritables motivations le rattrapent peu à peu...
La Tortue Rouge - Michael Dudok de Wit - Pays-Bas - Animation - 29 juin.
Les grandes étapes de la vie d'un être humain à travers l'histoire d'un naufragé sur une île déserte peuplée de tortues, de crabes et d'oiseaux...
Captain Fantastic - Matt Ross - US - Drame - Mortensen - 20 juillet.
Dans les forêts reculées du nord-ouest des Etats-Unis, vivant isolé de la société, un père dévoué a consacré sa vie toute entière à faire de ses six jeunes enfants d’extraordinaires adultes. Mais quand le destin frappe sa famille, ils doivent abandonner ce paradis qu’il avait créé pour eux. La découverte du monde extérieur va l’obliger à questionner ses méthodes d’éducation et remettre en cause tout ce qu’il leur a appris.
(28 Hotel Rooms)
La danseuse - Stéphanie Di Giusto - FRANCE - Drame - Soko, Ulliel, M Thierry, Lily Rose Depp - 28 septembre.
Loïe Fuller est née dans le grand ouest américain. Rien ne destine cette cowgirl très charpentée à devenir la gloire des cabarets parisiens de La Belle Epoque et encore moins à danser à l’Opéra de Paris, jusqu’à ce qu’elle invente la danse Serpentine. Mais sa rencontre avec Isadora Duncan, jeune prodige avide de gloire et de célébrité, va précipiter la chute de cette icône du début du 20ème siècle.
Voir du pays - Delphine & Muriel Coulin - FRANCE - Drame - Soko, Labed.
Deux jeunes femmes militaires, Marine et Aurore, qui, comme tous les soldats qui reviennent d’Afghanistan, passent par un sas de décompression de trois jours dans un hôtel cinq étoiles, à Chypre. D'après le roman de Delphine Coulin.
(17 filles)
Hell Or High Water - David Mackenzie - UK - Thriller - Bridges, Pine.
Deux frères, l'un ancien détenu, l'autre père de famille divorcé, organisent un braquage de banque. A leurs trousses, deux Texas Rangers déterminés à les faire tomber...
(Perfect Sense, Starred Up..)
Périclès le noir/Pericle Il Nero - Stefano Mordini - Italie - Drame - Scamarcio, Foïs.
"Mon patron s'appelle Luigino Pizza, tout le monde l'appelle comme ça à cause de ses pizzerias. Moi, je m'appelle Périclès Scalzone, et mon métier est de sodomiser les gens". Voilà comment débute Périclès le noir dans le roman original du même nom écrit par Giuseppe Ferrandino...
The Happiest Day in the Life of Olli Maki - Juho Kuosmanen - Finlande - Drame.
Une évocation d'un épisode de la vie d'Olli Mäki, premier boxeur finlandais à combattre pour le titre de champion du monde des poids plumes en 1962. Malgré la défaite et une humiliation subie lors de ce match devant une salle pleine, il dira que ce fut le beau jour de sa vie.
Chiens/Caini - Bogdan Mirica - Roumanie - Thriller.
Roman arrive dans une campagne paumée où il vient d'hériter de son grand-père. Il décide de vendre ces terres où rien ne pousse, mais se trouve confronté à des mafieux peu commodes. Ils ne reculent devant rien pour stopper la vente de cette terre, au centre de leur trafic...
Le disciple/Uchenik - Kirill Serebrennikov - Russie - Drame - 2 novembre.
Veniamin, un adolescent pris d’une crise mystique, bouleverse sa mère, ses camarades et son lycée tout entier, par ses questions. Les filles peuvent-elles aller en bikini au cours de natation ? Les cours d’éducation sexuelle ont-ils leur place dans un établissement scolaire ? La théorie de l’évolution doit-elle être enseignée dans les cours de sciences naturelles ? Les adultes sont vite dépassés par les certitudes d’un jeune homme qui ne jure que par les Ecritures. Seule Elena, son professeur de biologie, tentera de le provoquer sur son propre terrain.
Eshtebak/Clash - Mohamed Diab - Egypte - Drame - (Film d'ouverture).
Inspiré d’un événement réel, Clash se déroule presque entièrement dans un fourgon anti-émeute lors d’une manifestation au Caire à la suite de la destitution du président Morsi en 2013.
(Les femmes du bus 678)
Inversion/Varoonegi - Behnam Behzadi - Iran - Drame.
La pollution de l'air de Téhéran a atteint son niveau maximal à cause de l'inversion. Niloofar, une femme de 35 ans, tient un atelier de couture et vit avec sa mère. Elle retrouve un ancien amant au moment où les médecins disent qu'il faut que sa mère quitte Téhéran en raison de ses problèmes respiratoires. Sa famille veut que Niloofar accompagne sa mère mais la jeune femme va aller à l'encontre de ce souhait...
Beyond The Mountains and Hills/Me'ever Laharim Vehagvaot - Eran Kolirin - Israël - Drame.
Un soldat israélien qui, après avoir servi 22 ans dans l’armée, ne se reconnait plus dans son pays, désormais changé...
Personal Affairs/Omor Shakhsiya - Maha Haj- Israël - Drame.
??
The Transfiguration - Michael O'Shea - US - Epouvante/HorreuDrame.
Un film sur des vampires à New York...
After the Storm - Hirokazu Kore-Eda - Japon - Drame.
Une famille doit faire face à l'arrivée imminente d'un typhon...
(Still Walking, Air Doll, Like Father Like Son, Our Little Sister...)
Harmonium/Fuchi Ni Tatsu - Kôji Fukada - Japon - Drame.
Toshio habite en campagne et embauche Yasaka pour travailler dans son atelier. Yasaka vient de sortir de prison et est en réalité une vieille connaissance de Toshio. Mais ce retour ne se déroule pas comme prévu puisque Yasaka se mêle un peu trop de la vie privée de Toshio.
(Au revoir l'été)
La longue nuit de Francisco Sanctis/La Larga Noche... - Francisco Márquez & Andrea Testa - Argentine - Drame.
Buenos Aires, 1977. La dictature militaire terrorise la population. Francisco Sanctis (45 ans) travaille dans l’administration. Sa vie est calme, mis à part les événements politiques. Un après-midi, il reçoit une information qui l’oblige à sortir de cette passivité. Elena (45 ans), une ancienne amie de l’université, lui passe un appel d’urgence. Elle a besoin que Francisco signe une autorisation afin de publier un poème militant qu’il a écrit dans ces années-là. Dans la voiture, Elena lui dit que le poème n’était qu’une excuse et elle lui donne deux noms et une adresse. Des personnes que l’armée s’apprête à kidnapper. Pour Francisco commence une longue nuit. Doit-il essayer de sauver les vies de deux inconnus au risque de perdre la sienne?
  • Semaine de la Critique :
Jury : Valérie Donzelli, Alice Winocour, Navid Lapid, David Robert Mitchell & Santiago Mitre.
Longs Métrages en compétition :
Grave - Julia Ducournau - FRANCE - Comédie.
Dans la famille de Justine tout le monde est vétérinaire et végétarien. À 16 ans, elle est une adolescente surdouée sur le point d’intégrer l’école véto où sa soeur ainée est également élève. Mais, à peine installés, le bizutage commence pour les premières années. On force Justine à manger de la viande crue. C’est la première fois de sa vie. Les conséquences ne se font pas attendre. Justine découvre sa vraie nature...
Mimosas - Oliver Laxe - Espagne - Drame.
Une caravane accompagne un cheik âgé et mourant à travers le Haut Atlas marocain. Sa dernière volonté est d'être enterré à côté de ses proches. Mais la mort n'attend pas. Les caravaniers, craignant la montagne, refusent de continuer à porter le cadavre. Said et Ahmed, deux voyous voyageant avec la caravane, disent connaître la route et qu'ils mèneront le corps à destination. Dans un monde parallèle, Shakib est désigné pour aller dans la montagne avec une mission : aider les caravaniers de fortune...
Albüm - Mehmet Can Mertoğlu - Turquie - Drame - 1er Film.
Un couple marié, approchant la quarantaine, met en scène dans un album de photo une fausse grossesse pour dissimuler à son entourage qu’ils adoptent un enfant...
Tramontane - Vatche Boulghourjian - Liban - Drame - 1er Film.
Rabih, un jeune chanteur aveugle, parcourt le Liban après avoir découvert qu’il n’était pas le fils biologique de ses parents. Sa quête d’identité, son désir d’accompagner sa chorale à l’étranger et la recherche de son oncle disparu et seul détenteur de la vérité, se confondent en une même fébrilité. A travers cette quête, Rabih dresse le portrait d’une nation toute entière incapable de relater sa propre Histoire...
One Week and a Day/Shavua ve Yom - Asaph Polonsky - Israël - Drame - 1er Film.
Après la semaine de deuil suite au décès de leur fils, Vicky pousse Eyal, son mari, à reprendre le train-train quotidien. Au lieu de cela, il prend de la drogue avec son jeune voisin pour planer et découvre qu'il reste encore des choses qui valent la peine d'être vécues...
Diamond Island - Davy Chou - Cambodge - Drame.
Bora, 18 ans, quitte son village pour travailler sur les chantiers de Diamond Island, projet de paradis ultramoderne pour les riches et symbole du Cambodge du futur. Il s’y lie d’amitié avec d’autres jeunes ouvriers, jusqu’à ce qu’il retrouve son frère aîné, le charismatique Solei, disparu cinq ans plus tôt. Solei lui ouvre alors les portes d’un monde excitant, celui d’une jeunesse urbaine et nantie, ses filles, ses nuits et ses illusions...
(Le sommeil d'or)
A Yellow Bird - K. Rajagopal - Singapour - Drame - 1er Film.
Après des années passées en prison pour contrebande, Siva, un Indien de Singapour, est libéré. Dans l'incapacité d'obtenir le pardon de sa mère et rejeté par ses proches il part à la recherche de sa femme et sa fille. Alors qu'il trouve le réconfort auprès d'une jeune prostituée chinoise, il réalise que sa famille lui a caché un terrible secret. Jusqu'où ira-t-il pour se délivrer de sa culpabilité ?
Longs Métrages hors compétition :
Victoria - Justine Triet - FRANCE - Comédie dramatique ? - Efira, Lacoste, Poupaud - Film d'ouverture.
Victoria Spick, avocate pénaliste en plein néant sentimental, débarque à un mariage où elle y retrouve son ami Vincent et Sam, un ex-dealer qu’elle a sorti d’affaire. Le lendemain, Vincent est accusé de tentative de meurtre par sa compagne. Seul témoin de la scène, le chien de la victime. Victoria accepte à contrecœur de défendre Vincent tandis qu'elle embauche Sam comme jeune homme au pair. Le début d’une série de cataclysmes pour Victoria...
(La bataille de Solférino..)
Apnée - Jean-Christophe Meurisse - FRANCE - Comédie dramatique ? - (Séance Spéciale).
Céline, Thomas et Maxence marchent toujours par trois. Comme la trilogie de la devise républicaine. Ils veulent se marier, une maison, un travail, des enfants sages et manger tous les jours des huîtres. Insoumis et inadaptés à une furieuse réalité économique et administrative, ils chevauchent leurs quads de feu et traversent une France accablée, en quête de nouveaux repères, de déserts jonchés de bipèdes et d’instants de bonheur éphémère...
Happy Times Will Come Soon/I tempi felici verranno presto - Alessandro Comodin - Italie - Drame/Guerre - (Séance Spéciale).
Tommaso et Arturo sont parvenus à s'enfuir et se réfugient dans la forêt. Des années plus tard, cette forêt est infestée de loups. De nos jours, Ariane y découvre un trou étrange. Ariane est-elle la jeune femme dont on parle dans cette légende de la vallée ? Pourquoi Ariane s'est-elle aventurée dans ce trou ? Cela reste un mystère. Cette histoire, chacun la raconte à sa façon, mais tous s'accordent à dire que le loup, Ariane l'a bel et bien trouvé...
(L'été de Giacomo)
+ Courts et Moyens Métrages:
cf site de la Semaine de la Critique.
10 courts en compétition + 1 court et 1 moyen en séances spéciales "50+5" + 3 courts en films de clôture.
  • Quinzaine des Réalisateurs :
Longs Métrages en compétition :
L'effet aquatique - Solveig Anspach - FRANCE - Comédie dramatique - Guesmi, Loiret-Caille - Sortie le 29 juin.
Samir, la quarantaine dégingandée, grutier à Montreuil, tombe raide dingue d’Agathe. Comme elle est maître-nageuse à la piscine Maurice Thorez, il décide, pour s’en approcher, de prendre des leçons de natation avec elle, alors qu’il sait parfaitement nager. Mais son mensonge ne tient pas trois leçons - or Agathe déteste les menteurs! Choisie pour représenter la Seine-Saint-Denis, Agathe s’envole pour l’Islande où se tient le 10ème Congrès International des Maîtres-Nageurs. Morsure d’amour oblige, Samir n’a d’autre choix que de s’envoler à son tour...
(Haut les cœurs !, Queen of Montreuil, Lulu femme nue...)
L’Économie du couple - Joachim Lafosse - BELGIQUE - Comédie dramatique - Kahn, Bejo.
Après 10 ans d'amour et la naissance de leurs jumelles, Thierry et Marie ont décidé de se séparer. Malheureusement, Thierry n'a pas les moyens suffisants pour se reloger et puisque Marie a acheté l'appartement dans lequel ils ont vécu mais que Thierry l'a totalement rénové, ils prennent la décision difficile de continuer à vivre sous le même toit...
(A perdre la raison, Les chevaliers blancs..)
-Les Vies de Thérèse - Sébastien Lifshitz - FRANCE - Documentaire.
Sur la vie de Thérèse Clerc, militante féministe (décédée récemment).
(Les Invisibles, Bambi...)
Tour de France - Rachid Djaïdani - FRANCE - Comédie dramatique - G Depardieu.
Far’Hook est un jeune rappeur de 20 ans. Suite à un règlement de compte, il est obligé de quitter Paris pour quelques temps. Son producteur, Bilal, lui propose alors de prendre sa place, et d’accompagner son père Serge, faire le tour des ports de France, sur les traces du peintre Joseph Vernet. Malgré le choc des générations et des cultures, une amitié improbable va se nouer entre ce rappeur plein de promesses et ce maçon du Nord de la France au cours d’un périple qui les mènera à Marseille pour un concert final, celui de la réconciliation...
(Rengaine)
Divines - Houda Benyamina - FRANCE - Drame - 1er Film.
Dans un ghetto où se côtoient trafics et religion, Dounia a soif de pouvoir et de réussite. Soutenue par Maimouna, sa meilleure amie, elle décide de suivre les traces de Rebecca, une dealeuse respectée. Sa rencontre avec Djigui, un jeune danseur troublant de sensualité, va bouleverser son quotidien...
Mercenaire - Sacha Wolff - FRANCE - Drame - 1er Film.
Soane, jeune Wallisien, brave l’autorité de son père pour partir jouer au rugby en métropole. Livré à lui-même à l’autre bout du monde, son odyssée le conduit à devenir un homme dans un univers qui n’offre pas de réussite sans compromission...
Ma vie de courgette - Claude Barras - SUISSE - Animation/Drame - 1er Film.
Courgette, un garçon de 10 ans, est placé dans un orphelinat après le décès de sa mère. Comment va-t-il surmonter les difficultés et s'intégrer dans ce nouvel environnement au milieu d'un petit groupe d'enfants abimés comme lui par la vie ?
Poesia Sin Fin - Alejandro Jodorowsky - FRANCE/Chili - Drame/Fantastique/Biopic.
Un conte fantastique adapté du dernier chapitre de l'autobiographie d'Alejandro Jodorowsky, La Danse de la réalité...
(El Topo, Santa Sangre, La Danza de la Realidad...)
La Pazza Gioia - Paolo Virzì - Italie - Comédie dramatique - Bruni Tedeschi, M Ramazzotti - 8 juin.
Beatrice est une mythomane bavarde au comportement excessif. Donatella est une jeune femme tatouée, fragile et introvertie. Ces deux patientes de la Villa Biondi, une institution thérapeutique pour femmes sujettes à des troubles mentaux, se lient d'amitié. Une après-midi, elles décident de s'enfuir bien décidées à trouver un peu de bonheur dans cet asile de fous à ciel ouvert qu'est le monde des gens « sains»...
(Les opportunistes ...)
Fais de beaux rêves/Fai Bei Sogni - Marco Bellocchio - Italie - Drame - Mastandrea, Bejo - Film d'ouverture - 14 décembre.
Turin, 1969. Massimo, un jeune garçon de neuf ans, perd sa mère dans des circonstances mystérieuses. Quelques jours après, son père le conduit auprès d’un prêtre qui lui explique qu’elle est désormais au Paradis. Massimo refuse d’accepter cette disparition brutale. Année 1990. Massimo est devenu un journaliste accompli, mais son passé le hante. Alors qu’il doit vendre l’appartement de ses parents, les blessures de son enfance tournent à l’obsession…
(Le sourire de ma mère, Vincere, Sangue del mio sangue...)
-Fiore - Claudio Giovannesi - Italie - Drame?
?? Une jeune fille découvre l'amour et la tendresse en prison...
(Ali a les yeux bleus)
-Risk - Laura Poitras - US - Documentaire.
Sur Julian Assange.
(Citizenfour..)
Dog eat Dog - Paul Schrader - US - Thriller - Cage, Dafoe, Matthew Cook - Film de clôture.
Trois anciens détenus sont engagés pour organiser un kidnapping, à Los Angeles. Quand le plan tourne mal, les trois hommes se retrouvent traqués...
(American Gigolo, La Féline, The Canyons...)
Two Lovers and a Bear - Kim Nguyen - Canada - Drame/Fantastique.
Dans une région arctique, Roman et Lucy doivent non seulement se battre contre les éléments mais aussi affronter leur passé et les démons intérieurs qui les habitent afin de trouver l’amour au sein d’une dure réalité...
(Rebelle, L'Odorat..)
Mean Dreams - Nathan Morlando - Canada - Thriller.
?? Histoire d'amour sur fond de polar...
Neruda - Pablo Larraín - Chili - Biopic/Drame - García Bernal.
Une évocation de la vie du poète chilien Pablo Neruda...
(No, El Club..)
Wolf and Sheep - Shahrbanoo Sadat - Afghanistan - Comédie ethnologique ? - 1er Film.
?? La vie de jeunes bergers afghans...
-Raman Raghav 2.0/Psychoraman - Anurag Kashyap - Inde - Thriller.
??
+ Courts Métrages :
Cf site de la Quinzaine des Réalisateurs : 11 courts en compétition.
  • Cinéfondation :
18 Courts Métrages sélectionnés : Cf site officiel
  • Film de Clôture = Le film qui aura la palme d'or.
Quelques autres films à venir pour compléter la liste : le dernier d'Asghar Farhadi ? Un film panaméen ?
Jury = Président : George Miller (+ d'après wikipédia : Arnaud Desplechin, Kirsten Dunst, Valéria Golino, Mads Mikkelsen, Donald Sutherland).
Maître de cérémonie = Laurent Lafitte.
edit : ajout des sélections Semaine de la Critique & Quinzaine des Réalisateurs.
edit 2 : ajout compléments de sélection.
submitted by sally-draper to guessthefrenchmovie [link] [comments]


O AMANTE ASSISTIR FILME COMPLETO DUBLADO - YouTube DICA DE FILME - O AMANTE DA RAINHA Filme Amante de Aluguel - COMPLETO O Amante Duplo  Trailer legendado - YouTube O AMANTE ASSISTIR FILME COMPLETO DUBLADO - YouTube

A Amante - 31 de Maio de 2018 Filmow

  1. O AMANTE ASSISTIR FILME COMPLETO DUBLADO - YouTube
  2. DICA DE FILME - O AMANTE DA RAINHA
  3. Filme Amante de Aluguel - COMPLETO
  4. O Amante Duplo Trailer legendado - YouTube
  5. O AMANTE ASSISTIR FILME COMPLETO DUBLADO - YouTube
  6. O AMANTE ASSISTIR FILME COMPLETO DUBLADO - YouTube
  7. Filme Novia, Esposa y Amante - Daniela Romo
  8. O AMANTE ASSISTIR FILME COMPLETO DUBLADO - YouTube
  9. O Amante da Rainha - Trailer Oficial Legendado [HD] - YouTube
  10. O AMANTE ASSISTIR FILME COMPLETO DUBLADO - YouTube

Este é o segundo filme da DN Filmes, o drama : Esta é a comovente história de Helena, uma mulher de 60 anos, que para sobreviver vendia seu corpo através da prostituição. Ela conta sua ... Filme Novia, Esposa y Amante - Daniela Romo Daniela Romo Brasil. Loading... Unsubscribe from Daniela Romo Brasil? Cancel Unsubscribe. Working... Subscribe Subscribed Unsubscribe 1.56K. ... New Chinese Trailer Action Movies How to Make An Eiffel Tower with Bamboo Sticks O Amante Assistir filme completo dublado FILME LANÇAMENTO 2020 MELHORES FI... New Chinese Trailer Action Movies How to Make An Eiffel Tower with Bamboo Sticks O Amante Assistir filme completo dublado O Tubarão Gigante - FILME DE AÇÃO 2... New Chinese Trailer Action Movies How to Make An Eiffel Tower with Bamboo Sticks O Amante Assistir filme completo dublado Filmes Completos Dublados fantasia ... New Chinese Trailer Action Movies DIY A BOAT How To Make A Boat With Ice Cream Sticks O Amante Assistir filme completo dublado Horror-Geschichten von Verfl... New Chinese Trailer Action Movies How to Make An Eiffel Tower with Bamboo Sticks O Amante Assistir filme completo dublado Filme de fantasia Filme de fantasia... Published on Jan 5, 2016. A dica de filme hoje é: En kongelig affære Direção: Nikolaj Arcel Duração: 137 minutos ... O Amante Assistir filme completo dublado - Duration: 1:15:46. O Amante Duplo Confira o trailer de O Amante Duplo. Somos o melhor destino para quem busca trailers assim que eles são lançados. Se você é fã de cinema como ... O AMANTE DA RAINHA (En Kongelig Affære / A Royal Affair) Sinopse: O AMANTE DA RAINHA conta uma história verídica de um homem comum que ganha o coração da rai...