Encontros às Cegas vídeo

Uma hilariante comédia sobre Danny, um jovem inteligente, confiante e atraente, que por acaso é cego. De James Keach, com Chris Pine, Eddie Kaye Thomas, Anjali Jay, Jane Seymour, Stephen Tobolowsky. Estreia 8 Novembro 2007 A lista contém os melhores, novos e mais adequados 'filmes sobre encontro às cegas' ordenados por relevância. O sistema de recomendação escolheu filmes e séries de realista, cómico, semi serio, se sentir bem, sexy e melancólico sobre / em que / com enredo encontro às cegas, amigos, casais, romance, amor e romance, nudez, amizade, vingança, adolescente e procurando por amor ... E é lá que sua Nonna bola um plano para fazê-la seguir em frente: a família deve arranjar dez encontros às cegas para a garota. De dates legais e engraçados aos verdadeiramente bizarros, Sophie passa a entender melhor quem realmente é, e que nem sempre o que achamos querer é o melhor para nós. Tive 8 encontros às cegas pelo Zoom na quarentena; saiba tudo sobre o Speed Dating ... ISA: 'A vontade é publicar algo em forma de vídeo documental, mas ainda seeeeeem previsão alguma de quando isso vai rolar. Até porque, embora o LIITC tenha nascido como um experimento, ao passar das edições e com a resposta de todo público ele começa ... Um site de encontros está à procura de dez solteiros para um encontro ‘às cegas’. As inscrições podem ser feitas até dia 13 de fevereiro, véspera do Dia dos Namorados. Dos candidatos, o portal felizes.pt irá escolher cinco pares com gostos semelhantes para participarem no workshop com que mais se identifiquem. Encontros ‘às Cegas’ Num Ford Mustang • Encontros às cegas num Ford Mustang atraem mais de 1,5 milhões de pessoas ma aplicação Tinder • Um perfil especial prometia aos participantes “o encontro pelo qual esperavam” • Cinco felizardos casais conhecem-se melhor através de questões sobre “belfies” e tatuagens A atriz parece ter uma 'queda' por encontros às cegas. Aniston e Justin Theroux se conheceram em 2011, quando seus amigos planejaram um jantar em grupo. Depois, sozinhos, eles 'esticaram' a ... Com essa curiosidade em mente, a equipe do canal Cut Video promoveu uma série de encontros às cegas regados à muita maconha. Veja o resultado a seguir: Previous Post. Vídeo mostra pais e filhos fumando maconha juntos pela primeira vez. Next Post. Vídeo mostra um rabino, um padre e um ateu fumando maconha juntos.

Trabalho sobre Schopenhauer.

2020.04.03 04:18 Morenofael Trabalho sobre Schopenhauer.

Eu estou no nono ano do ensino fundamental, as aulas foram canceladas à alguns dias, então meu professor de filosofia pediu um trabalho de três páginas no Word sobre Schopenhauer. Filosofia é uma das minhas matérias preferidas, competindo com história, eu estou bem satisfeito com o resultado, podem me dizer o que acham? Me desculpem pela desorganização do texto, eu dei um Control C + Control V no Word.
Pesquisa sobre
Arthur Schopenhauer

Rafael Checchia Moreno

9ºC
Matéria: Filosofia

Contexto:

Schopenhauer foi um filósofo romântico, nascido em 22 de fevereiro de
1788, Em Danzig, na Alemanha. Hoje o local se chama Gdansk e faz parte
da Polônia. Ele foi muito influenciado por filósofos como Emanuel Kant,
Georg Wilhelm Friedrich Hegel (apesar de se opor às suas filosofias) e
Platão, Além de correntes filosóficas da Ásia. Ele viveu no tempo do
idealismo alemão e do romantismo. Ele desenvolveu um sistema
metafísico ateu, e introduziu conceitos asiáticos como o budismo no
idealismo alemão. Ele repudiava o otimismo, sendo predominantemente
pessimista, assim como vários filósofos de sua época, um deles sendo um
de seus principais antecessores: Kierkegaard.
A Vontade:

Assim como a maioria dos românticos, ele refletiu sobre o universo e o
infinito como um todo, mas discordando da maioria das ideias que os
filósofos de seu tempo tinham sobre isso.
Schopenhauer cria em uma força (ou energia) presente em toda forma
de natureza, e decidiu chamar essa força de Vontade. A ideia de uma força
regendo tudo não era algo novo na filosofia, outros filósofos que vieram
antes dele já haviam pensado nisso, no entanto, a ideia dele sobre a
Vontade tinha alguns diferenciais. Em algumas filosofias essa força era
vista como algo (ou ser) lógico, e de vez em quando até dotado de
inteligência.
Para Schopenhauer, a Vontade seria cega, ou seja, irracional. Essa
vontade estaria presente em tudo, e seria a matéria mais íntima do
universo.
Para explicar isso um pouco melhor, vamos pegar como exemplo um
pinguim chocando seus ovos. Um pinguim não é um ser racional, ele age
por instinto. No caso, para a filosofia de Schopenhauer esse instinto
estaria sendo movido por essa vontade. Ou também pegando você como
exemplo: o conceito de Schopenhauer sobre a Vontade também se aplica
nos seres humanos. Apesar dos seres humanos serem seres dotados de
raciocínio lógico, Schopenhauer dizia que a Vontade também se manifesta
no ser humano, tanto em atos voluntários, como acariciar um animal,
preparar o almoço ou ler este texto, quanto em atos involuntários, como a
batida do coração, a captação de luz pelos olhos, ou a captação de sabores

pela língua. Em um de seus livros ele usa a metáfora de que a Vontade é
um cego carregando um aleijado que enxerga, no caso, nós.
A influência de Emanuel Kant no
pensamento de Schopenhauer:
De acordo com Kant, nós construímos nosso mundo a partir de nossas
percepções, e ele chamava essa percepção de mundo fenomênico, e
nenhum de nós experimenta o mundo como é em si, ou seja, o mundo
que ele chamava de mundo numênico, visto que os sentidos são limitados.
Um exemplo de falha nos sentidos: se você ouvir uma pessoa com a voz
parecida com a do Zeca Pagodinho cantando Trem Das Onze, você
provavelmente vai pensar que é o Zeca Pagodinho, mesmo com as vozes
sendo parecidas, e não idênticas.
O que diferencia o pensamento de Kant do de Schopenhauer é que
para Kant o mundo fenomênico e o mundo numênico seriam distintos,
enquanto para Schopenhauer, esses seriam um único mundo, mas sentido
de maneiras diferentes, ou seja, um mundo com dois aspectos, e esses
aspectos são a Vontade e a Representação. Um ato de vontade, como
desejar ouvir o Zeca Pagodinho cantando Trem Das Onze, e o movimento
para tornar essa vontade realidade, no caso, abrir o YouTube e clicar na
miniatura de um vídeo do Zeca Pagodinho cantando Trem das Onze, não
estão em mundos diferentes. Esses aspectos estão no mesmo mundo, o
que muda é a maneira como eles são sentidos.
O sofrimento segundo Schopenhauer e
seu pessimismo em relação à vida:
Alguns filósofos, por exemplo, o contemporâneo Hegel, viam a Vontade
como uma força positiva. Schopenhauer pensava o contrário: Tudo e
todos estão a mercê da Vontade, e na filosofia de Schopenhauer essa
vontade é irracional e sem propósito, por tanto, é impossível que o
universo seja harmonioso, assim, o mundo seria marcado por diversos
horrores, tais como a fome, a morte, a guerra e etc... No caso, esse caos
seria pior para os seres humanos, pois até onde sabemos, o ser humano é
o único animal racional do planeta terra, portanto nós temos ciência sobre
o fracasso, sobre os horrores que assolam nosso mundo, e sobre estarmos
caminhando até a morte.

Como já dito antes, é essa vontade que dá à uma a vontade de se reunir
em bandos, à um tardigrada a vontade de comer bactérias, à uma onça a
vontade de caçar outros animais e etc... Essa vontade também está
presente nos seres humanos, nos fazendo sentir nossos desejos mais
básicos nos induzindo a viver. Para Schopenhauer, só o fato de os seres
terem vontade de viver em um mundo como esse já é uma manifestação
da Vontade. Em sua teoria, Schopenhauer diz que o mundo não é ruim,
mas também não é bom, e não possui significado, e aqueles que tentam
atribuir um significado a ele, ou seja, alcançar a felicidade, ficam no
máximo satisfeitos, e em hipóteses piores, alcançam apenas sofrimento e
angústia.

A influência oriental em
Schopenhauer:

E é aí que as filosofias orientais se aplicam às ideias de Schopenhauer:
Para ele, haviam duas maneiras de escapar desse ciclo sem fim de
sofrimento: deixa de existir, vulgo morrer, ou sufocar a vontade de se
satisfazer. Para Schopenhauer, o melhor caminho para sufocar essa
vontade seria a apreciação estética, tais como a música e a pintura, e é
nessa parte de sua filosofia que vemos a influência do Nirvana, uma
corrente filosófica budista.
Também haveria outra maneira de sufocar essa vontade, que seria o
sofrimento auto infligido. Renunciar aos prazeres e se colocar sob longos
castigos. Esse pensamento é herdado do hinduísmo, que possuí santos e
religiosos místicos que se auto castigam constantemente.
Se desapegando um pouco de seu pessimismo, ele chegou na conclusão
de que se nós pudéssemos reconhecer que nós não estamos separados do
universo, poderemos ver o lado bom da vida.

Depois de Schopenhauer:

Schopenhauer ficou um bom tempo sem ser muito reconhecido, e foi
bastante ofuscado Hegel, mas inspirou artistas do século XIX e suas ideias
voltaram a aparecer na filosofia quando Friedrich Nietzsche reconheceu
suas ideias.
Referências bibliográficas: Encontro Com A Filosofia 9 (Ricardo Melani), O Livro Da
Filosofia (GloboLivros).
submitted by Morenofael to Filosofia [link] [comments]


2019.12.08 15:27 SerRyamRedwyne OLENNA TYRELL - Série vs Livros

Lady Olenna foi uma das personagens secundárias mais populares da série e sua popularidade é tanta que muita gente acaba confundido as duas versões da personagem, pensando na canônica como se fosse a da série e defendendo que foi um caso de adaptação fiel, mas será que elas são tão parecidas assim? Nesse post eu defenderei que não. A diferença começa pela aparência. Diana Rigg é uma senhora imponente, com uma postura que já demonstra poder, foi assim que a personagem da série foi representada. A Olenna original, porém, é uma senhora de aparência frágil que finge ter problemas de audição e usa disso para parecer inofensiva.
Há uma visão bem predominante no fandom de que Olenna é uma senhora extremamente ambiciosa e que lidera a sua casa fazendo todos se moverem para a conquista dos sete reinos... Bem, isso não parece ser verdade, apesar de ser essa a interpretação que é corroborada pela série.
Primeiro, um parêntese. A equipe de roteiristas de GOT quis vender a Casa Tyrell como “prafrentex”, uma família supostamente matriarcal e com a mente bem aberta (isso é presente até nos vídeos extras, em que colocam a esposa do Harlen Tyrell o aconselhando a tramar contra os Gardener – numa trama que não faz o menor sentido - ou um vídeo de Randyll Tarly falando que a família sempre foi chefiada por mulheres). A adaptação, na verdade, suprimiu ou reduziu o papel de todos os homens da família Tyrell e priorizou as mulheres, o que a primeira vista parece legal, mas que não funcionou nada bem. Principalmente se olharmos o que aconteceu ao longo da trama, qual foi o desfecho dado às duas casas em que as "características femininas" foram ressaltadas na narrativa: extintas como se nada fossem para aquele universo. (E por que eles decidiram ignorar os outros homens da família e reduzir Loras e Mace a caricaturas inúteis? Provavelmente porque o símbolo da casa é uma flor e é assim que a mente dos roteiristas funciona; rosa = mulher forte, homem completamente incapaz. O que parece uma boa intenção a priori é apenas uma máscara para estereótipos bobos)
Agora voltando a suposta ambição cega de Olenna... Se as coisas são como parecem ser, não há muita coisa que sugira isso nos livros, pelo contrário. Naquele icônico bate-papo entra ela, Margaery e Sansa no Tormenta de Espadas (um dos melhores capítulos daquele livro), o que vemos é a Rainha dos Espinhos se queixando de como o filho não escuta seus conselhos, de como ele enfiou toda a família naquela lama, de como Loras era estúpido, etc. Quase todas as ações que os Tyrell tiveram até aquele momento, que ela afirma que foram desastrosas, são creditadas ao Mace e não a ela.

E agora o idiota do meu filho está fazendo o mesmo, só que está montando um leão em vez de um palafrém. Eu preveni-o de que é fácil montar um leão, mas não é tão fácil desmontá-lo; porém, ele só responde com risinhos. Se algum dia tiver um filho, Sansa, bata nele com freqüência, para que aprenda a lhe dar ouvidos. Eu só tive um rapaz e quase não bati nele, é por isso que agora ele presta mais atenção ao Abetouro do que a mim. Um leão não é um gato de colo, eu lhe disse, e ele me vem com um 'vá-lá-mãe'. Há muito mais'vá-lás' neste reino do que devia existir, se quer saber. Todos esses reis fariam bastante melhor se depusessem as espadas e escutassem as mães."
A série até adaptou esse encontro, mas não fez o menor sentido num geral, já que depois mostraram uma Olenna comandando a família como se ela mesma fosse a chefe da Casa, se reunindo com Tywin para discutir assuntos que caberiam ao filho - que, vejam só, também estava na corte.
O que sabemos é que coroar o caçula Baratheon e depois aceitar uma aliança com os Lannister são coisas que não deveriam ser postas na conta da Olenna. Tudo indica que ela teria ficado muito bem em Jardim de Cima se não fosse o filho.

Devíamos ter permanecido bem longe de toda esta sangrenta babaquice, a meu ver, mas depois de ordenhar a vaca não há como enfiar o leite de volta nas tetas."

De toda a trajetória dos Tyrell na saga, há três eventos que podemos creditar a ela:
• Morte do Joffrey
Ela o matou porque Joff era um sádico cruel que poderia causar uma tragédia em sua família. O matou para proteger os netos, Margaery E Loras. Apesar da série ter ignorado isso, Loras estar na guarda real foi um fator extremamente importante para convencê-la a tomar tal decisão, pois conhecendo o neto, ela sabia que ele acabaria matando o Joffrey. Olenna NÃO matou o Joffrey porque queria controlar o Tommen (essa seria a interpretação da Cersei e que a série, mais uma vez, corrobora). É simples, se o Joff não fosse um doente, ela não o teria envenenado apenas para que a sua neta pudesse "manipular o irmão mais novo dele".
• Conspiração para casar a Sansa com o Willas
Se por algum milagre o Robb vencesse a guerra, os Tyrell teriam a Sansa em Jardim de Cima e seriam perdoados mais facilmente pela aliança com os Lannisters. Se o Robb morresse, não importava, Sansa era uma garota bonita e de uma família com nome importante, uma das melhores esposas que ela poderia arrumar para o neto. Um fato interessante é que ela diz a Sansa que Mace não precisa saber das intenções dela e não acredito que a mesma estivesse mentindo. Mace, de fato, não precisava saber e talvez ela soubesse que quanto menos gente soubesse, melhor.
• Rejeição do casamento entre Cersei e Willas
Em determinado momento o Tywin pretende casar a filha com o herdeiro do Mace. De acordo com Varys, a velha convenceu o filho de que Cersei não era uma esposa adequada, pois era velha demais (Vale destacar que Varys não é uma fonte confiável nesse caso). Um argumento que o Mace provavelmente iria comprar, afinal um casamento entre Cersei e Willas não era prioridade para a sua ambição de ter um neto rei. Esse último ponto é importante para ver outra diferença da relação Tyrell-Lannister na série. Em GOT, Olenna foi simplesmente coagida a aceitar um casamento entre Loras e Cersei, mostrando que os Lannisters estavam por cima, quase como se tivessem fazendo um favor para a Margaery. No livro isso está longe de acontecer, já que o apoio dos Tyrell foi o que assegurou a vitória dos leões e era crucial para manter o Joffrey no trono, eram os Tyrell que estavam em condição de barganhar e obter vantagens, não os Lannisters - e Tywin acaba sedendo a todas as vontades de lorde Mace.

Tá, mas quem garante que, durante a conversa com a Sansa, Olenna não estivesse mentindo?
Essa ideia é possível, sim, mas não acredito nela. Primeiro que acho que o Martin se esforça para nos apresentar a personagem ali tal como ela é, não há nenhum personagem com pov por perto dela para revelar o contrário, como foi o caso de Doran, por exemplo. E segundo e mais importante é que quando Mindinho está falando sobre o envenenamento de Joff para Sansa, ele também reforça que as ambições da Casa Tyrell saem da cabeça do Mace. Enquanto ele falava sobre os termos da aliança, Olenna fazia perguntas sobre a natureza do Joff e não sobre vantagens políticas, a preocupação da Redwyne foi, o tempo todo, a segurança de sua família, enquanto a do Mace não. E não há nenhum indício de que o desejo de ter Margaery como rainha tenha vindo da avó - ou mesmo da garota:
Quando cheguei a Jardim de Cima para regatear a mão de Margaery, ela deixou que o senhor seu filho fanfarronasse enquanto ela fazia perguntas mordazes a respeito da natureza de Joffrey.
[...]
"A velha compreendeu também outra coisa, o filho estava decidido a fazer de Margaery uma rainha" [...] (Petyr Baelish, Tormenta)
É, não existe isso de "I want to be the queen". Margaery dos livros também é muito diferente de sua versão da série, que é basicamente uma adaptação de como Cersei enxerga a personagem nos livros, não como ela é. Mas isso é tema para outra discussão. O que podemos entender é que não há nenhuma razão para que Mindinho mentisse para Sansa naquele momento. Uma coisa que muita gente ignora sobre o casamento púrpura é que o plano original do Petyr nunca foi envenenar Joff durante a celebração do casamento. Quando ele foi para Jardim de Cima, o que ele pretendia era que Loras assassinasse Joffrey em algum momento, por isso se empenhou em levá-lo para a Guarda Real. Ele conhecia bem a natureza de Joffrey e de Loras, mas não conhecia Olenna.
Voltando a Olenna, a personagem original está mais pra uma senhora que age nos bastidores para limpar a bagunça do filho e para manter a sua família bem, do que uma velha com sede de poder. É claro que, uma vez que foram lançados no jogo, Olenna se move para que a sua família fique por cima, afinal, já que estão dentro do jogo, que se jogue direito, como ela diz em analogia com o leite ordenhado da vaca. Olenna não tem o mesmo privilégio do Tywin. Enquanto o Lannister tinha autoridade sobre Cersei, a senhora Tyrell pode ter as melhores estratégias e conselhos possíveis, que nada adiantará SE o seu filho não lhe der ouvidos. E é justamente o fato do Mace não ouvi-la que a irrita tanto, pois é ele quem lidera a casa, e não ela. Isso quer dizer que ele ignora completamente os conselhos da mãe? Não, como vemos no caso da proposta de casamento entre Willas e Cersei, mas ele claramente age por vontade própria e não é alguém que a consulta para cada movimento seu.
Resumindo, na série Olenna é responsável por todas as ações de sua família e é reconhecida até mesmo publicamente como a chefe da casa, mesmo quando o filho ainda estava vivo. A original, por sua vez, é uma senhora que nem sempre é ouvida, e quando não é, age por conta própria para que as más decisões do filho não levem sua família a ruína.
submitted by SerRyamRedwyne to Valiria [link] [comments]


Casamento Às Cegas  Final, Curiosidades E Realities A TVI E OS ENCONTROS ÀS CEGAS (FIRST DATES) Francis  Sinta o poder da flor em um encontro às cegas CASAMENTO ÀS CEGAS  LOVE IS BLIND  CURIOSIDADES E EXPECTATIVAS 5 ENCONTROS ÀS CEGAS com desconhecidos EM 1 DIA  LOVE ... ENCONTRO ÁS CEGAS

PS Amo Leitura: Resenha 10 dates surpresa, de Ashley Elston

  1. Casamento Às Cegas Final, Curiosidades E Realities
  2. A TVI E OS ENCONTROS ÀS CEGAS (FIRST DATES)
  3. Francis Sinta o poder da flor em um encontro às cegas
  4. CASAMENTO ÀS CEGAS LOVE IS BLIND CURIOSIDADES E EXPECTATIVAS
  5. 5 ENCONTROS ÀS CEGAS com desconhecidos EM 1 DIA LOVE ...
  6. ENCONTRO ÁS CEGAS

12 Desconhecidos participam de encontros às cegas - Duration: 22:15. Vida de Tit ... Segue-me no Instagram: https://www.instagram.com/andrefilipens Segue-me no Twitter: https://www.twitter.com/andrefnsantos ----- Para MP's ou o... Convidamos 12 Desconhecidos para encontros às cegas - Duration: 22:15. Vida de Tit ... Com a evolução da tecnologia, evoluíram também as relações pessoais. A cada dia que passa surgem novos aplicativos para facilitar encontros, e adeptos não faltam. Mas cuidado, esses ... Quem disse que o poder da flor não é capaz de quebrar o gelo de um encontro às cegas? Dê o play no vídeo e descubra! ... Convidamos 12 Desconhecidos para encontros às cegas - Duration: 22:15. 75% de DESCONTO no Tinder Plus é só na #CODASHOP CLIQUE NO LINK PARA CONFERIR: http://bit.ly/ThataTinder - QUER PARTICIPAR DAS PRÓXIMAS EDIÇÕES DO #LoveDra...